Bruno Haddad / Cruzeiro
Bruno Haddad / Cruzeiro

Maurício comemora gol, mas lamenta resultado do Cruzeiro em clássico

Equipe empata em 1 a 1 com o América no Mineirão e fica em segundo lugar na tabela com um jogo a menos

Redação, Estadão Conteúdo

09 de fevereiro de 2020 | 21h44

O remodelado Cruzeiro conseguiu manter a invencibilidade na temporada, mas o meia Maurício, autor do gol no empate por 1 a 1 contra o América-MG, neste domingo, no estádio do Mineirão, pela quinta rodada do Campeonato Mineiro, ressaltou que o resultado poderia ter sido melhor.

"Fico muito feliz por estar sendo o destaque, mas fico triste pela partida porque poderíamos ter ganhado. Tivemos chance, assim como eles. A gente veio com uma proposta diferente para este jogo. Mas a gente fica triste por não ter dado a vitória para o nosso torcedor", comentou o jogador de apenas 18 anos.

É o segundo jogo seguido que o meia balança as redes. Na semana passada, ele marcou contra o Tupynambás e neste domingo evitou a derrota anotando o gol celeste aos 32 minutos do segundo tempo, após o América-MG sair na frente. Depois explicou o gol, isentando o goleiro Airton do gol sofrido. "Eu peguei forte na bola, ela tocou na mão dele e entrou. Não achei uma falha", argumentou.

O técnico Adilson Batista disse que estava satisfeito. "Acho que foi um bom teste. O América-MG tem jogado bem e quase subiu no ano passado na Série B. Vai ser um confronto lá na frente. A gente demonstrou que pode crescer", encerrou o treinador cruzeirense.

O Cruzeiro está na zona de classificação às quartas de final do Campeonato Mineiro com 10 pontos, empatado com a Caldense, mas levando vantagem no número de gols marcados (8 a 7). Além de ter um jogo a menos: 4 a 5. O próximo compromisso é pela Copa do Brasil. Nesta quinta-feira, a equipe celeste vai até Boa Vista, em Roraima, para enfrentar o São Raimundo-RR.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.