Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Maurício Galiotte é confirmado como sucessor de Nobre no Palmeiras

Votação neste sábado oficializou a ascensão do novo presidente para o biênio 2017/2018

Estadão Conteúdo

26 de novembro de 2016 | 21h05

O Palmeiras já definiu o nome do seu novo presidente. Conforme o esperado, Mauricio Galiotte, de 47 anos, foi eleito para o cargo e substituirá Paulo Nobre no cargo de mandatário da equipe alviverde a partir de 2017.

A votação foi realizada na sede social do clube alviverde, e foi direcionada aos seus sócios. A disputa contou com um total de 1.733 votos, computados entre as 10 e 17 horas deste sábado. Candidato de Nobre, Galiotte foi votado por 1.639 deles. Outros 94 sócios decidiram votar em branco.

Por falta de acordo entre o setor da oposição, nenhum candidato enfrentou Galiotte no pleito, o que tornava a sua vitória esperada - ele precisava apenas obter mais de 50% dos votos válidos. Vice-presidente na última gestão de Paulo Nobre, ele assumirá a principal cadeira da direção alviverde ainda em dezembro. A troca de posições está marcada para o dia 15 do próximo mês.

Galiotte será o 39.º presidente eleito na história do Palmeiras. Seus escolhidos para os cargos de diretoria executiva foram Genaro Marino, primeiro vice-presidente, Antonino Jesse Ribeiro, segundo vice, Victor Fruges, terceiro, e José Carlos Tomaselli, quarto.

Figuras conhecidas da cúpula alviverde estiveram na sede social do clube para acompanhar a votação, como os ex-presidentes Arnaldo Tirone, Affonso Della Monica e Mustafá Contursi. O último, aliás, é considerado uma das vozes mais importantes da diretoria do clube, e demonstrou apoio a Galiotte.

Escolha pessoal de Paulo Nobre, Mauricio Galiotte é sócio do Palmeiras desde 1978, e chegou a ser atleta nos anos 1980. Ele é empresário e tem bom relacionamento com os patrocinadores do clube, a Crefisa e a FAM, comandados por Roberto Lamacchia e Leila Mejdalani. Uma das suas primeiras ações como mandatário alviverde será, inclusive, cuidar da renovação destes acordos - a conduta considerada 'explosiva' de Nobre fez com que as negociações fossem paralisadas pelo casal. Ele também terá como prioridades renovar os contratos do técnico Cuca e do diretor de futebol Alexandre Mattos.

É a primeira vez em 32 anos que um candidato concorre a um primeiro mandato presidencial sem oposição. Em 1984, Nelson Tadini Duque assumiu para o biênio 1985/1986. Mustafá Contursi foi reeleito duas vezes sem adversário entre 1994 e 1999. Galiotte chegou a participar das gestões de Contursi, Della Monica e de Luiz Gonzaga Belluzzo em cargos diretivos, sendo o vice de Nobre entre 2013 e 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.