Mauro Silva emociona jogadores

O choro compulsivo de Mauro Silva emocionou os jogadores da seleção brasileira na noite de segunda-feira, tão logo ele soube que estaria fora do jogo com o Uruguai e também da Copa América. Na sala de estar da concentração, o meia estava inconformado com a informação que acabara de receber do médico Rodrigo Lasmar: os exames revelavam que sofrera um estiramento muscular na coxa direita e que, por isso, ficaria afastado de suas atividades de duas a três semanas. "Ele chorava como criança, foi difícil para todos", contou Scolari. Como uma maneira de reconhecer seu valor na equipe, o treinador já o convocou por antecipação para a partida contra o Paraguai, em agosto, pelas eliminatórias do Mundial. "Disse a ele que ficasse tranqüilo, que já era nome certo para essa partida." Mauro ainda estava hoje muito abatido com o problema e tentou conformar-se com a solidariedade prestada pelos colegas de seleção. "Talvez viva agora a maior decepção de minha vida", declarou. Ele estava bastante motivado no grupo, destacando-se nos treinos pela garra e aplicação tática. O meia do La Coruña se machucou no treino de segunda-feira, ao tentar interceptar a bola, esticando a perna direita além do que devia. "Estava aqui num ambiente fantástico, agradando todos, não sei o que dizer." Depois, mais calmo, atribuiu o problema à sua ânsia de servir à seleção. Scolari lamentou o corte de Mauro Silva, um jogador-referência do time, credenciado para ser o capitão da equipe. No entanto, confirmou sua permanência no grupo até o jogo com o Uruguai. "Ele passa otimismo ao grupo, tem brilho nos olhos quando fala da seleção", observou. O atleta vai se tratar na clínica do médico Joaquim Grava, em São Paulo, assim que retornar de Montevidéu. Dia 22, embarca para a Espanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.