Mauro Silva vira dúvida na Seleção

O volante Mauro Silva contundiu-se durante o treino de hoje à tarde e pode ficar fora do jogo com o Uruguai, domingo, em Montevidéu. Ele caiu no chão ao dividir uma jogada, esticou a perna direita para interceptar a bola e acabou sentindo dores fortes na coxa. A princípio, Mauro teria sofrido uma contratura muscular. O médico Rodrigo Lasmar iria submetê-lo a uma ressonância magnética para verificar a extensão do problema. "Temo que tenha havido lesão muscular", disse Lasmar. Se Mauro não puder atuar, Luiz Felipe Scolari deverá optar por escalar Fábio Rochemback em seu lugar. Antes da contusão do volante, o treinador tinha uma idéia do time que pretendia levar a campo para enfrentar o Uruguai, domingo, em Montevidéu. Agora, vai esperar a palavra do médico para saber como deve armar a equipe. Antonio Carlos e Cafu devem participar, amanhã à tarde, do jogo-treino da seleção com a Portuguesa-RJ, com duração de 90 minutos, cuja finalidade é a de dar entrosamento à equipe. Os dois melhoraram da contusão que os impedia de treinar e entenderam o discurso de Scolari. "O que vale agora é o poder de superação, mesmo com um pouquinho de dor, o jogador tem que dar tudo para passar pelo próximo adversário", declarou o treinador. A carga de treinos de Romário já começou a ser reduzida hoje, a pedido do próprio atacante. Ele foi o último a pisar o gramado da Granja, pela manhã. Participou do trabalho físico com desenvoltura e de parte do treino tático. Depois de 30 minutos, isolou-se do grupo para ensaiar finalizações, aproveitando cruzamentos dos auxiliar de Scolari, Flávio Teixeira. Romário ainda passaria um bom tempo sentado em campo ao lado de Rivaldo, emquanto os demais atletas corriam no lado oposto. "Chega uma hora em que a idade pesa um pouco", explicou o artilheiro do Vasco. Ele conversou com o preparador físico Paulo Paixão sobre o problema e recebeu aval de Scolari para ter atividades mais amenas na Granja Comary. Reservas - No coletivo de 55 minutos de hoje, os reservas da seleção, com o reforço de quatro atletas amadores de Teresópolis venceram os titulares por 3 a 1, com gols de Juninho Paulista, Jardel e Ewerthon, descontando Romário para o time principal. Scolari não reclamou do placar. "Eu fui o árbitro, dei quatro pênaltis, marquei 212 faltas que não aconteceram; resultado de treino, para mim, não interessa. Podia ter sido 14 a 14."

Agencia Estado,

25 de junho de 2001 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.