Christophe Simon/AFP
Christophe Simon/AFP

Mbappé diz viver momento especial e pode quebrar recorde na França

Aos 19 anos, atacante pode ser o mais jovem campeão da história do país

Ciro Campos, enviado especial / São Petersburgo, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2018 | 05h00

A Copa do Mundo que podia ser a de Griezmann tem sido a de Kylian Mbappé. O atacante da seleção francesa de 19 anos comemorou na terça-feira a vaga para a final da Copa do Mundo com a vitória por 1 a 0 sobre a Bélgica, em São Petersburgo, e aguarda a final com a expectativa de se tornar um recordista do futebol nacional. Se a equipe confirmar o título, o jogador do Paris Saint-Germain será o mais jovem campeão da história do país.

+ Umtiti repete trajetória de Thuram com gol em semifinal de Copa​

+ Técnico da França pede para time evitar comparações com Copa de 1998

O talento precoce de Mbappé o fará bater a marca da David Trezeguet em 1998 caso a França conquista a Copa no domingo. Naquele Mundial o então atacante reserva foi campeão aos 20 anos e nove meses, algo que poderá ser superado na final. O atual astro faz boa Copa do Mundo, ao ter marcado três gols e sido decisivo com dribles e jogadas individuais em velocidade.

"Todos nós sonhamos com isso (a final) desde a infância. Não será fácil. Resta uma partida, e ainda não temos a taça. Temos o direito de acreditar. É o sonho de uma vida inteira", afirmou o jogador, que curiosamente nasceu no ano do título mundial francês, conquistado em casa. Mbappé veio ao mundo em dezembro, cinco meses depois da festa francesa.

 

Contra a Bélgica o jogador não marcou, mas foi muito acionado no segundo tempo, em contra-ataques. A França deu folga ao elenco nesta quarta-feira e aguarda a definição do adversário na decisão. Inglaterra e Croácia se enfrentam em Moscou, no estádio Lujniki, para decidirem quem será o segundo finalista da Copa.

Após a vitória na semifinal, Mbappé afirmou que vive um momento de alegria especial. "É o dia mais lindo da minha carreira, da minha existência. Eu espero que a final seja ainda mais especial", afirmou o atacante, que disputa pela primeira vez um torneio com a seleção francesa principal.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.