Fabio Seixo/ Divulgação
Fabio Seixo/ Divulgação

Médico confirma estiramento e Scarpa irá desfalcar o Flu

Jogador ficará afastado por até 3 semanas

Estadão Conteúdo

08 de julho de 2016 | 19h21

Após treino realizado pelo Fluminense na tarde desta sexta-feira nas Laranjeiras, o coordenador do departamento médico do clube, Douglas Santos, concedeu uma entrevista coletiva na qual confirmou que o meia Gustavo Scarpa sofreu um estiramento no joelho direito e ficará afastado da equipe por até três semanas. O jogador se machucou no empate por 1 a 1 com o Ypiranga-RS, em Volta Redonda, na última quarta, pela Copa do Brasil.

"Ele sofreu um estiramento no colateral medial do joelho direito e evoluiu bem nos últimos dois dias. A previsão de retorno é de duas a três semanas. Em 21 dias, ele já deve estar em condições de jogo. Não chegou a romper o ligamento, mas estirou. O tratamento agora é para cicatrizá-lo. Assim que acontecer, ele volta a treinar", afirmou Douglas Santos, que antes disso enfatizou que Scarpa é hoje o único jogador entregue ao departamento médico tricolor.

"Estamos trabalhando muito no tratamento preventivo. Vem dando certo desde o ano passado. A lesão do Scarpa foi traumática, não pode ser evitada. Só tivemos três lesões musculares no ano. O trabalho está dando certo", enfatizou.

Scarpa se machucou já na primeira metade da etapa inicial do duelo com o time gaúcho, ao ser travado na hora de uma finalização, e agora se tornou desfalque de peso da equipe que voltará a jogar neste domingo, contra o Vitória, às 19h30, em Salvador, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sem poder contar com Scarpa, o técnico Levir Culpi escalou o time titular no treino desta sexta o meia-atacante Maranhão, que não atuou contra o Ypiranga por não poder defender o Fluminense na Copa do Brasil. Outra novidade na equipe foi a entrada de Dudu no lugar de Pierre no meio-campo, que também teve Cícero e Douglas como dupla de volantes. Já o ataque foi escalado com Osvaldo e Magno Alves.

PARREIRA - Técnico do Brasil na campanha do tetracampeonato mundial de 1994 e também da seleção nacional na Copa de 2006, Carlos Alberto Parreira visitou o CT do Fluminense nesta sexta-feira e disse ter ficado encantado com a nova estrutura do clube, que ele também dirigiu na campanha do título brasileiro de 1984 e depois no período de recuperação do time na década de 1990 após seguidos rebaixamentos.

"Fiquei realmente emocionado. É um sonho acalentado de quarenta anos atrás. Quando estive no Fluminense na década de 1970 já se falava na construção de um CT e ninguém dava o primeiro passo. O grande mérito do presidente Peter foi ter dado este passo. Ele sentiu a importância de o clube ter o próprio local de trabalho. Poucos clubes têm CT e o Flu agora entra nessa categoria dos clubes com um baita, super CT. Tive o privilégio de viajar pelo mundo, conhecer centros de treinamentos de grandes clubes como Barcelona, Real Madrid, Manchester United e este aqui não deverá nada a ninguém. Nós entramos no primeiro mundo, um passo gigantesco para o futuro", ressaltou Parreira, que fez a visita acompanhado pelo presidente Peter Siemsen e pelo vice-presidente de projetos especiais do Flu, Pedro Antônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.