Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Médico da seleção pede que jogadores tomem cuidado com lesões

José Luiz Runco vai aproveitar o amistoso contra a África do Sul para passar recomendações aos atletas

Ronald Lincoln Jr., O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2014 | 17h03

RIO DE JANEIRO - José Luiz Runco está na seleção brasileira desde 1998 – sucedeu Lídio Toledo após a Copa da França. O médico sabe que os meses que antecedem um Mundial são fundamentais e, por esse motivo, vai aproveitar o próximo amistoso da seleção, no dia 5 de março, em Johannesburgo, na África do Sul, para conversar com os jogadores e pedir para eles terem um cuidado especial daqui até a Copa.

ESTADO - O departamento médico da seleção faz alguma recomendação aos jogadores quanto à prevenção de lesões, já que a  Copa se aproxima?

RUNCO - Para a gente, isso é uma rotina normal. Sempre pedimos para eles terem cuidado e se precaverem, principalmente com a parte física. Inclusive, no próximo jogo da seleção, contra a África do Sul, a gente vai conversar com os jogadores e pedir para eles terem esse cuidado durante o período antes da Copa do Mundo.

ESTADO - O senhor conversa com os departamentos médicos do clubes para alinhar alguma postura visando à prevenção de lesão dos jogadores?

RUNCO - Cada clube tem seu trabalho específico, nós não fazemos nenhum tipo de intervenção no trabalho realizado nos departamentos médicos dos clubes. Apenas conversarmos com os atletas para eles se precaverem.

ESTADO - Algum jogador merece uma atenção especial? Com o Fred, por exemplo, o senhor realiza algum tipo de trabalho específico de prevenção de lesões?

RUNCO - O Fred não tem de fazer nada, ele está normal. O jogador que precisar de algum trabalho específico de recuperação física, nós faremos quando ele se apresentar à seleção.

ESTADO - Como o senhor espera receber os atletas para a Copa do Mundo?

RUNCO - A previsão é que todos os jogadores cheguem bem ao Mundial. Hoje, os atletas estão bem e a tendência é eles continuarem assim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.