Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Médico diz que Neymar fará fisioterapia e garante atacante no treino de quarta

Rodrigo Lasmar assegura presença do atleta na atividade do dia, que será fechada para a imprensa

Almir Leite, Ciro Campos, Leandro Silveira e Marcio Dolzan, enviados especiais / Sochi, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2018 | 13h07

Ainda que sem conceder uma entrevista, o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, adotou um discurso de tom tranquilizador ao comentar a situação do atacante Neymar, que deixou o treinamento desta terça-feira da equipe nacional, em Sochi, logo nos minutos iniciais por causa de dores no tornozelo. Ele assegurou que o jogador do Paris Saint-Germain terá condições de participar da atividade desta quarta, que será fechada à imprensa, ainda que necessite de tratamento fisioterápico até lá. 

+ Diretor da Fifa admite erro em gol da Suíça

+ Zagueiro suíço vê críticas "incompreensíveis"

+ Desequilíbrio do Brasil após gol liga 'alerta'

"Neymar se queixou de dores no tornozelo, em decorrência do número de faltas sofridas contra a Suíça. Como o treino era regenerativo para os titulares, foi encaminhado para a fisioterapia. Fica lá hoje (terça) e amanhã (quarta-feira) de manhã, treinando amanhã à tarde", afirmou Rodrigo Lasmar, médico da seleção brasileira, citado em publicação no Twitter da CBF.

Nesta terça, Neymar exibiu reações durante o pouco período em que permaneceu em campo que levantaram preocupações sobre a sua condição física, algo que ocorre desde que ele operou o pé direito, em março. Após um aquecimento ao lado dos demais jogadores convocados por Tite para a Copa, o atacante passou a participar de uma roda de bobinho com um grupo reduzido de companheiros. Ele parecia sentir incômodo na região do pé praticamente a cada toque na bola, quase sempre pisando o solo na sequência. E, depois de um desses momentos, abandonou o trabalho, chutando forte a bola, claramente aparentando frustração. 

 

Neymar passou por cirurgia no quinto metatarso do pé direito no em março, em Belo Horizonte, exatamente com Lasmar, após se lesionar quando estava em ação pelo PSG. O atacante retornou aos gramados nos amistosos preparatórios da seleção para a Copa do Mundo, no início de junho, e atuou pela primeira vez por 90 minutos na estreia do Brasil na competição, no último domingo, no empate por 1 a 1 com a Suíça, na Arena Rostov. 

Naquela oportunidade, sofreu dez faltas e mancou em alguns momentos, ainda que não tenha recebido atendimento médico dentro de campo e nem sido substituído.  E esse problema o afastou do primeiro treinamento da equipe após esse compromisso e seria a razão da saída da atividade desta terça, de acordo com a CBF. Mas a entidade assegura que ele estará em campo na quarta-feira e também no confronto com a Costa Rica, sexta-feira, pela segunda rodada do Grupo E da Copa, em São Petersburgo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.