Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Médico do Corinthians descarta lesão grave em Manoel

Joaquim Grava acredita que escalação para enfrentar o Ceará dependerá do técnico Carille

João Prata, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 04h30

O zagueiro Manoel é a única dúvida por lesão que o técnico Fábio Carille tem para o jogo do Corinthians contra o Ceará, amanhã, em Itaquera, pela terceira fase da Copa do Brasil. O jogador passou ontem por exames no ombro esquerdo e o resultado deve sair na manhã de hoje.

O médico Joaquim Grava acredita que não seja um problema grave e que ele deverá ter condições de ser relacionado para o próximo confronto. “A questão é se o Carille vai querer preservá-lo ou se conta com ele. Mas clinicamente me parece que não seja nada mais sério”, disse em entrevista ao Estado.

Manoel deslocou o ombro esquerdo por duas vezes no clássico com o Santos pela semifinal do Paulistão. Autor do gol que abriu o placar na vitória por 2 a 1, ele informou que tomou injeção no intervalo para aguentar a partida inteira. “Ele machucou uma articulação que o jogador de linha não usa muito. Mas vamos esperar mais um pouco. Amanhã (hoje) saberemos melhor a evolução da recuperação dele”, comentou Grava.

Manoel iniciou ontem tratamento em dois períodos com choque e gelo e também o trabalho de fisioterapia. O problema inicial aconteceu após o zagueiro trombar com o goleiro Cássio. Pouco depois, foi tentar um lançamento para Vagner Love e deslocou o ombro novamente.

“A dor foi muito forte, eu gritei na primeira vez que saiu. Vocês não têm noção da dor, é muito forte. Graças a Deus, pude colocar no lugar”, comentou o zagueiro após o confronto. 

Manoel se machucou talvez em sua melhor apresentação desde que chegou ao Corinthians. O jogador abriu o placar em um cabeceio com três minutos de jogo e depois demonstrou segurança no setor defensivo. Ao comentar sobre sua evolução, o jogador lembrou dos primeiros jogos, quando cometeu falhas e se tornou alvo de crítica dos torcedores, especialmente sobre o fato de o time ter sofrido gols de cabeça.

"Aqui é todo mundo trabalhando forte, firme. O começo foi difícil, o Carille ainda estava procurando o time. As coisas não estavam acontecendo, mas agora, conseguimos encaixar bem. Ficamos seis jogos sem tomar gol de cabeça. A equipe está suportando bem. Somos fortes ofensiva e defensivamente", disse o zagueiro.

ESCALAÇÃO

Mesmo que tenha condições clínicas, a tendência é que Manoel seja preservado do duelo da Copa do Brasil. O Corinthians venceu o jogo de ida por 3 a 1 fora de casa e pode perder até por um gol de diferença que segue na competição.

Marllon deve ser o substituto. O zagueiro participou do treino no gramado com os reservas ontem e recebeu atenção especial de Carille sobre posicionamento e saída de bola. Após o clássico, o treinador disse que ainda não havia pensado sobre a partida do meio de semana. “Sinceramente não sei. Vamos esperar. O Manoel vai passar por exames, pode ser que se recupere”, desconversou.

Carille aproveitou também para sair em defesa e reiterar apoio em sua dupla de zaga titular: Manoel e Henrique. Apesar de terem evoluído, os dois ainda não caíram nas graças dos torcedores. “Falam da zaga, mas muitas bolas não entraram no setor da zaga. O escanteio do gol do São Paulo foi em cima do triângulo (meio-campo), o gol contra o São Bento também uma bola no segundo. Quando fala de gol sofrido culpam muito os zagueiros, mas muitas vezes não é assim”, disse. 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansCopa do Brasilfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.