Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Médico prevê que Ruschel e Henzel devem receber alta em breve

Apesar do otimismo, os dois vão precisar ficar sob cuidados especiais no hospital em Chapecó

Ciro Campos, enviado especial a Chapecó, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2016 | 07h18

A equipe médica está otimista com a evolução dos quadros dos dois sobreviventes do acidente aéreo da Chapecoense que chegaram à cidade nesta terça-feira. O coordenador médico do clube catarinense, Carlos Mendonça, afirmou nesta terça-feira que pelas boas condições de Alan Ruschel e Rafael Henzel, a internação da dupla no hospital local deve ser curta e em breve os dois poderão ir para casa.

Os sobreviventes voltaram para Chapecó nesta terça-feira em voo da Força Aérea Brasileira (FAB) equipado com UTI móvel. Os dois foram transferidos ao Hospital Unimed, em Chapecó. "Tudo vai depender da resposta clínica, mas acredito que a presença dos pacientes aqui vai no hospital vai ser curta", afirmou Mendonça, que acompanhou a transferência dos dois de Medellín, na Colômbia, até a cidade no oeste catarinense.

Apesar do otimismo, os dois vão precisar ficar sob cuidados especiais. Henzel tem um traumatismo no tórax e está com um dreno no local. O radialista está com uma pneumonia e, por isso, ficará em isolamento hospitalar para combater a bactéria. Outra tarefa será cuidar de fraturas no pé e no pulso. Já o lateral Alan Ruschel, tem se recuperado de luxação na coluna torácica e tenta se livrar de infecção urinária.

Mendonça explicou que a força-tarefa entre médicos colombianos e brasileiros foi fundamental para os sobreviventes saírem de um estado crítico para o panorama atual, bem mais favorável. "A equipe no hospital na Colômbia era fantástica, assim como o povo de lá. Tivemos a liberdade de interferir e sugerir novas condutas médicas. Não sei se nós, brasileiros, faríamos a mesma coisa por eles. Foi muito fora da média", elogiou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.