Médicos dizem que Ronaldo volta a jogar futebol se quiser

Operação é realizada com sucesso e jogador inicia trabalho de recuperação já nesta sexta-feira

Andrei Netto, Especial para O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2008 | 20h23

Ronaldo volta a jogar futebol se quiser. O recado foi transmitido na noite desta quinta-feira, em Paris, pela equipe médica do Hospital Pitié-Salpêtrière, onde o atacante do Milan foi operado. Aos 31 anos, vítima de uma lesão idêntica à que teve em 2000 no joelho oposto, o direito, o atacante começa já amanhã os trabalhos de fisioterapia, que serão realizados nos próximos oito dias na capital francesa. A decisão sobre voltar ou não aos gramados, no entanto, caberá ao ex-melhor do mundo. Clinicamente, é possível.Veja também: A trajetória de Ronaldo no futebol Ronaldo é operado com sucesso de lesão no joelho  Mãe de Ronaldo passa dia em 'orações', pai aposta na volta Médico que operou Ronaldo em 1999 diz que ele poderá voltar  Italianos enviam mensagens por celular ao jogador Ronaldo chega de muletas ao hospital  Jornais italianos questionam futuro de Ronaldo  Milan e Inter se unem pelo atacante  Histórico de lesões da carreira de Ronaldo  O drama de Ronaldo no Milan Ronaldo conseguirá superar mais uma contusão?O parecer é assinado por ninguém menos do que o especialista que o recuperou para o futebol há sete anos. Em meio a uma tumultuada e concorrida entrevista coletiva, o ortopedista Gérard Saillant disse à pequena multidão de jornalistas brasileiros, italianos e franceses que o craque brasileiro pode retomar a carreira dentro de nove meses, o tempo mínimo para a recuperação da cirurgia pela qual passou - a reconstrução do ligamento patelar do joelho esquerdo. "Realizamos exatamente a mesma cirurgia que havíamos feito em 2000 no joelho direito", disse Saillant, reforçando: "Oito anos depois, tive as mesmas imagens na cabeça durante a cirurgia".O atacante chegou ao hospital por volta de 13 horas. Sentado no banco traseiro do veículo, tinha a perna esquerda estendida e uma bolsa de gelo sobre o joelho ferido. O jogador desceu de muletas e percorreu alguns metros até a entrada do hospital. Ronaldo usava óculos escuros, demonstrava abatimento e, mesmo cercado por jornalistas, não quis conceder entrevistas. Leonardo, hoje dirigente do Milan, o acompanhava, pedindo aos fotógrafos que respeitassem a privacidade do momento. Mesmo cercada de expectativa, a cirurgia não mobilizou um esquema especial de informação por parte da direção do hospital. Nenhum boletim médico foi divulgado até a noite, tampouco houve declarações oficiais por parte da direção do centro. Sem acesso às fontes oficiais, foi difícil até mesmo descobrir o horário exato da cirurgia, que ocorreria às 18 horas. Gérard Saillant, médico que operou o brasileiro em 2000, tornou a ser o especialista responsável pela nova cirurgia. A reconstrução do tendão também foi realizada pelos ortopedistas Yves Catonné e Eric Rolland, este último atual médico do Paris Saint-German.A intervenção, realizada durante mais de duas horas na unidade de ortopedia Gaston Cordier do Hospital Pitié-Salpêtrière - o maior da Europa -, foi considerada corriqueira pela equipe médica. Se será ou não um sucesso, diz Saillant, sem meias palavras, será possível saber se Ronaldo voltar a jogar. "A intervenção foi normal."Sobre a coincidência de um rompimento idêntico, e grave, acontecer no joelho oposto do mesmo atleta, o ortopedista garantiu que pode acontecer. Não se trata, em suas palavras, de um atleta com tendência a problemas graves. "Ronaldo tem grande capacidade física e muscular", disse Saillant.Sobre outra questão importante sobre sua recuperação, a idade, o especialista não teve meias palavras. Quando da primeira intervenção, em 2000, Ronaldo tinha 23 anos, e embora experiente, ainda tinha idade de atleta em começo de carreira. Hoje a situação é outra. "A idade faz diferença. Ronaldo hoje é um atleta mais próximo do fim da carreira. Mas cabe a ele dizer se quer retomar o esporte de alto nível aos 31 anos de idade", ressaltou, recusando-se a decretar o fim da carreira do ídolo. "Ele pode estar, mas não é certo que esteja mais perto de encerrar a carreira."A partir desta sexta-feira, Ronaldo começará a fisioterapia, com pequenos movimentos no joelho ferido. Ele permanecerá em tratamento em Paris nos próximos oito a 10 dias, quando então será decidido se a continuidade da terapia será feita na França, na Itália ou no Brasil. Eric Rolland revelou que Ronaldo demonstrava confiança antes da cirurgia. Durante a coletiva, o atacante ainda dormia, sob o efeito dos sedativos. "É a partir de sábado que teremos mais clareza sobre sua recuperação", disse Rolland.Em Paris, Ronaldo conta com o suporte da namorada - os familiares ainda não chegaram a Paris - e com dirigentes do Milan. Silvio Berlusconi, presidente do clube, telefonou ao longo do dia em busca de informações. Leonardo o acompanha desde a saída de campo, na quarta. "O Milan vai estar muito perto do Ronaldo", disse ele, em claro sinal sobre a prorrogação do contrato do atleta, cujo término se daria no meio do ano. A dúvida que persiste é: Ronaldo quer voltar? A esta pergunta, Leonardo não quis responder.

Tudo o que sabemos sobre:
RonaldoAC Milanlesões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.