Médicos já falam em alta para Maradona

"Maradona poderá voltar a jogar futebol". A afirmação foi disparada por Alfredo Cahe, médico pessoal do ex-astro do futebol argentino, que rapidamente explicou que a prática desse esporte seria apenas "recreativa". Entusiasmado com a recuperação de "El Diez" - a quem atende desde que este tinha 16 anos - Cahe afirmou que o ex-jogador, "se Deus ajudar", estará no dia 16 de maio na festa de 15 anos de sua filha mais jovem, Gianinna.No dia 18 de abril, Maradona foi levado às pressas até ali a clínca Suíço-Argentina, tremendo e suando muito. O comunicado médico oficial, na ocasião, afirmou que tratava-se de uma pneumonia. Mas, os analistas esportivos, céticos, consideravam que era uma nova overdose de cocaína, similar à que no ano 2000 quase levou Maradona à morte.Nesta quinta-feira, Cahe desmentiu novamente as informações sobre a overdose, sustentando que o principal problema do obeso ex-jogador é seu "excesso de peso". Segundo o médico, a saúde dele complicou-se com o quadro de infecção pulmonar que atualmente padece".Dias atrás, Maradona estava com 110 quilos. Desde a internação, teria perdido alguns quilos, "mas não muito". O peso ideal de Maradona - que tem 1,68 de altura - afirmam os médicos, é de 70 quilos.Até o fim da tarde desta quinta-feira, a clínica não havia emitido o costumeiro comunicado oficial diário. Nas portas da clínica, as especulações indicavam que tendo em vista a melhoria gradual de "El Diez", não era necessário o boletim.CAMISETA - A proposta de um grupo de jogadores de eliminar o número 10 das camisetas da seleção argentina como forma de homenagear Maradona (que é conhecido como "El Diez" por ter utilizado a camiseta 10 durante anos) irritou os predecessores do ex-astro no uso desse número.Esse foi o caso de "El Matador", como é chamado Mario Alberto Kempes, que usou a camiseta número 10 na Copa do Mundo de 1978, realizada na Argentina. "O 10 é o número que usam os melhores jogadores do mundo e acho que a Argentina, algum dia, terá um jogador igual a Diego", disparou Kempes em uma entrevista ao jornal "La Voz del Interior", de Córdoba."Quem sabe, daqui a 100 anos nascerá outro Maradona, que vai querer usar a camiseta 10. Remover a 10 seria uma coisa chocante, difícil de acreditar", lamentou.A FIFA anunciou que aguarda a solicitação oficial da AFA para começar a analisar a eventual remoção da camiseta 10. Anos atrás, a FIFA recusou um pedido similar.BANDERAZO - Neste sábado à tarde os fanáticos de Maradona realizarão um "banderazo" (bandeiraço), ou seja, uma manifestação na qual ostentarão as cores da bandeira argentina e camisetas de "El Diez". A idéia da marcha - que será realizada ao redor do Obelisco - o monumento-símbolo de Buenos Aires - é a de celebrar a recuperação de Maradona, que está caminhando e falando novamente.

Agencia Estado,

29 de abril de 2004 | 17h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.