Massimiliano Schiaza/EFE
Massimiliano Schiaza/EFE

Médicos são acusados pela morte de jogador em partida do Italiano

Piermario Morosini teve um enfarte em campo e atendimento falhou no salvamento

AE-AP, Agência Estado

28 de março de 2013 | 15h25

Um inquérito sobre a morte de Piermario Morosini durante uma partida da segunda divisão do Campeonato Italiano no ano passado apontou quatro médicos como culpados por negligência no atendimento ao jogador de futebol, que defendia o Livorno.

Morosini, que tinha sido emprestado pela Udinese, da primeira divisão italiana, desmaiou e morreu por enfarte cardíaco durante uma partida entre o Livorno e o Pescara, disputada em 14 de abril de 2012. Exames revelaram que ele tinha um problema hereditário.

Os três juízes indicaram que a ausência de um desfibrilador teve um "papel preponderante na morte de Morosini", e criticaram os médicos de ambos os clubes, o paramédico e o primeiro médico que atendeu o jogador na sua chegada ao hospital.

A principal crítica foi ao paramédico Vito Molfese, que, segundo os juízes, precisava ter assumido de imediato um papel de liderança e ter utilizado um desfibrilador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMorosinimortefutinter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.