Lee Smith/Reuters
Lee Smith/Reuters

Meia da Inglaterra diz que Southgate revolucionou seleção: 'Jogamos sem medo'

Jesse Lingard elogia trabalho de jovem técnico vindo das categorias de base da seleção inglesa

Estadao Conteudo

01 Julho 2018 | 13h42

O meio-campista Jesse Lingard deu crédito ao técnico Gareth Southgate pela mudança de mentalidade da seleção inglesa, que, de acordo com o jogador, está mais confiante em disputar partidas importantes. A Inglaterra vai enfrentar a Colômbia pelas oitavas de final da Copa do Mundo, às 15 horas (de Brasília) desta terça-feira, no Spartak Stadium, em Moscou.

+ Volante inglês destaca trio ofensivo da Colômbia: 'Sabemos muito sobre eles'

+ Eliminados no mesmo dia, Messi e Cristiano Ronaldo viram piada na web

+ Maradona exalta peso da 'camisa amarela' e vê Brasil indo longe na Copa

"Eu sinto como se fosse uma revolução", afirmou Lingard em coletiva de imprensa concedida neste domingo, em Repino. O início das partidas eliminatórias do Mundial não assusta o jogador. "Não importa em que fase estamos, vamos atuar da mesma maneira. Vamos jogar com liberdade e sem medo. Foi isso que nos trouxe aqui, então por que mudar? Não vamos alterar nada por ninguém e por equipe nenhuma", garantiu.

Além do aspecto coletivo, Lingard disse que o técnico o ajudou a evoluir individualmente. "Southgate colocou confiança em mim para as grandes partidas. Cabe a mim apenas jogar bem para retribuir essa fé. Ele tem responsabilidade grande no meu desenvolvimento", elogiou.

 

O meio-campista foi companheiro de equipe de Falcao García, centroavante da Colômbia que não fez sucesso no futebol inglês. Em duas temporadas entre 2014 e 2016, uma pelo Manchester United e uma pelo Chelsea, o atacante fez apenas cinco gols, mas Lingard se impressionou com o que viu nos treinamentos.

"Grande finalizador. Dentro da área ele é letal", resumiu o meia do Manchester United, que na última temporada foi titular em 29 jogos dos 47 que participou pela equipe treinada por José Mourinho e fez 13 gols.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.