Arquivo/AE
Arquivo/AE

Meia Diego Souza diz estar na melhor fase da carreira

Ele foi o principal jogador da equipe nas vitórias sobre Flamengo e Santo André pelo Brasileirão

Daniel Akstein Batista - O Estado de S. Paulo,

20 de julho de 2009 | 19h15

Diego Souza já passou por Fluminense, Flamengo e Benfica. Teve ainda um grande destaque no Grêmio, em 2007. No ano passado, chegou ao Palmeiras como a contratação mais cara da Traffic, por cerca de R$ 10 milhões. Não teve a atuação esperada e foi criticado até por Affonso Della Monica, então presidente palmeirense. Sem se abater, ele deu a volta por cima e tem sido destaque do time neste ano. Por isso, não tem medo de afirmar: "É o meu melhor momento na carreira."

Veja também:

linkSuspensões motivam treino de reservas no Palmeiras

especial MASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especial Visite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Aos 24 anos, Diego Souza foi o principal jogador palmeirense nas vitórias sobre o Flamengo (2 a 1 no Maracanã, semana passada) e sobre o Santo André (1 a 0 no Palestra Itália, no último sábado). Marcou um gol em cada jogo, seus dois primeiros no Campeonato Brasileiro. Assim, ele já tem 12 na temporada, ocupando o posto de vice-artilheiro do Palmeiras - está atrás apenas do atacante Keirrison, autor de 24 gols, que já saiu do clube.

"Trabalhei bastante para viver esse momento, está tudo dando certo", comemorou Diego Souza, que ressalta alguns pontos importantes para sua boa fase. Cita, por exemplo, a companhia de Cleiton Xavier no meio-de-campo palmeirense. "Ele me dá tranquilidade", admitiu o jogador, lembrando que o companheiro o tem ajudado na armação e, principalmente, na marcação.

No duelo contra o Flamengo, Diego Souza atuou no ataque, jogando na posição que não é sua. Apesar de ter dado certo, ele revelou que prefere mesmo ficar no meio-de-campo. "Tenho mais facilidade para jogar, lá na frente eu apanho muito pois jogo de costas", explicou. "E sempre volto para buscar a bola e acabo deixando o companheiro (de ataque) isolado."

Zagueiro titular palmeirense, Danilo garante que fora de campo Diego Souza é mais calmo do que quando está jogando. "É um cara tranquilo e bacana", contou o companheiro de elenco. "Dentro de campo ele é mais esquentadinho. Um dos nossos principais jogadores. Espero que esse bom momento siga até o fim do ano."

O temor de Danilo não é só com as atuações de Diego Souza. Com a abertura da janela de transferências, aumenta a chance de o meia deixar o clube. Ele, porém, afirma que não apareceu nenhuma proposta. "Até agora não sei de nada e não tenho o pensamento de deixar o Palmeiras hoje", revelou.

PACTO

Diego Souza credita a boa fase do time (12 jogos de invencibilidade no ano, sendo cinco com o técnico interino Jorginho) a um pacto que os jogadores fizeram logo após o triunfo sobre o Vitória, por 2 a 1, no dia 7 de junho, pelo Brasileirão. "Depois de tudo o que passamos naquele jogo, falamos que contra o Cruzeiro (a partida seguinte) tínhamos de ter a mesma determinação", contou.

Contra o Vitória, o Palmeiras chegou ao gol vitorioso aos 46 minutos do segundo tempo, com o zagueiro Maurício Ramos. "A gente tinha como vencer algumas partidas e sempre levávamos gols bobos. A gente perdia para nós mesmos", lembrou Diego Souza. "Podemos até perder, mas que seja pelo mérito do adversário."

Ao falar sobre isso, Diego Souza lembra de uma ordem do antigo treinador do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, que foi demitido há quase um mês. "Ele cobrava para que a gente tivesse uma identidade, para entrar em campo com a mesma garra e o mesmo brio. Temos um grupo forte", afirmou o meia, que, com o Palmeiras na vice-liderança do Brasileirão, está confiante no título. "A equipe já mostrou sua cara e tem potencial para ser campeã."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.