Meia dinamarquês do Sevilla é operado após grave lesão e para por 7 a 8 meses

O meia dinamarquês Michael Krohn-Dehli, do Sevilla, foi operado nesta sexta-feira depois de sofrer uma grave e assustadora lesão no joelho esquerdo no duelo de ida das semifinais da Liga Europa, na última quinta, em Lviv, na Ucrânia, onde o seu time empatou por 2 a 2 com o Shakhtar Donetsk. Ele fraturou a rótula do joelho, em lesão que lembrou muito a de Ronaldo quando atuava pela Inter de Milão, em jogo contra a Lazio, em 2000.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

29 de abril de 2016 | 13h19

Por causa da gravidade da lesão, o clube espanhol informou nesta sexta que o jogador ficará afastado dos gramados "entre sete e oito meses em função de sua evolução". O atleta de 32 anos foi operado pelo chefe do departamento médico do Sevilla, Daniel Cansino, em um procedimento que transcorreu sem problemas, assim como o jogador passa bem após a operação.

De acordo com o comunicado oficial divulgado nesta sexta, Krohn-Dehli fraturou a parte inferior da rótula do seu joelho esquerdo. Na última quinta, aos 26 minutos do segundo tempo do jogo diante do Shakhtar, o jogador, sozinho no meio de campo, caiu urrando de dor e deixou o gramado chorando muito.

Para se ter uma ideia de quão impressionante foi o lance, o estádio do confronto ficou em silêncio e jogadores de ambos os lados mostraram comoção com o momento do colega de profissão. Por causa da grave lesão, que demanda longa recuperação, a previsão é a de que ele só volte a treinar no início do próximo ano.

Naquele momento, o Sevilla perdia o jogo por 2 a 1, mas, apesar do grande trauma vivido por Krohn-Dehli que abalou a todos, teve força para buscar o empate na reta final do segundo tempo. Pelos dois gols que marcou fora de casa, o time espanhol poderá avançar com empates por 0 a 0 ou 1 a 1 no confronto de volta das semifinais, marcado para a próxima quinta-feira.

Quando Ronaldo se machucou em abril de 2000, em jogo válido pela Copa da Itália, a grave lesão o obrigou a ficar um ano longe dos gramados. Naquela época, essa já era a segunda lesão de joelho sofrida pelo ex-atacante, fato que chegou até a colocar em dúvida a continuidade de sua carreira. Ele, porém, depois conseguiria se recuperar e foi o grande nome do Brasil na conquista do pentacampeonato mundial em 2002.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.