Juan Barreto/AFP
Juan Barreto/AFP

Meia diz que Panamá 'é capaz de fazer grandes coisas' na Copa

Valentin Pimentel vê no apoio da torcida panamenha presente na Rússia o combustível para a equipe não decepcionar

Estadão Conteúdo

16 Junho 2018 | 23h28

O Panamá terá que encarar duros adversários pela frente em sua primeira participação em Copa do Mundo. Logo na estreia, nesta segunda-feira, às 12 horas (de Brasília), em Sochi, enfrenta uma pedreira: a Bélgica, considerada uma das seleções mais fortes do Mundial da Rússia. Mas nada que assuste o meia Valentin Pimentel, que vê no apoio da torcida panamenha presente na Rússia o combustível para a equipe não decepcionar. Em Sochi, os panamenhos foram recebidos de forma calorosa pelos fãs.

+ Zagueiro da Bélgica diz que tropeço contra o Panamá 'iniciaria uma crise'

+ Panamenhos apostam em contra-ataque e bola aérea para surprreender a Bélgica

+ Bélgica dispensa suplente e indica recuperação de Kompany

"O carinho na recepção dos torcedores foi espetacular e esperamos compensar isso fazendo o que gostamos, que é jogar futebol e demonstrar que o Panamá é capaz de fazer grandes coisas", afirmou o jogador de 27 anos, do Plaza Amador, clube de seu país.

Entre os companheiros de seleção, está o zagueiro Felipe Baloy, que tem passagens por Grêmio e Atlético Paranaense e hoje atua pelo Municipal, da Guatemala.

Além dos belgas, os comandados do técnico colombiano Hernán Darío Gómez enfrentam a Inglaterra, no dia 24, e Tunísia, no dia 28.

 
 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.