Mark J. Terrill/AP
Mark J. Terrill/AP

Jogadora faz três gols contra no primeiro tempo em torneio de seleções nos EUA; veja os lances

Meikayla Moore, que defende o Liverpool, foi substituída ainda na etapa inicial da derrota da Nova Zelândia por 5 a 0 para a seleção americana na SheBelieves Cup

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2022 | 10h07

O segundo dia de disputas na She Believes Cup, minitorneio anual de futebol feminino disputado na Califórnia, nos EUA, foi marcado por uma situação para lá de inusitada. A defensora Meikayla Moore três gols contra na derrota da Nova Zelândia por 5 a 0 para as anfitriãs, todos marcados no primeiro tempo da partida entre as seleções. A zagueira de 25 anos, que defende o Liverpool, foi substituída aos 40 minutos da etapa inicial, visivelmente abatida. 

O primeiro gol veio logo aos 5 minutos. Moore tentou cortar um cruzamento da esquerda de Sophia Smith, mas o desvio acabou indo contra o próprio gol, abrindo o placar para as adversárias. Apenas um minuto depois, uma bola vindo da direita atingiu a jogadora no rosto e foi direto para o gol da Nova Zelândia. Gol involuntário, mas contra.

O infeliz hat-trick aconteceu aos 36 minutos. A jogadora novamente tentou interceptar um passe de Margaret Purce e, com o pé esquerdo, mandou a bola para as redes da Nova Zelândia. Após o lance, Moore ficou inclinada por alguns segundos e logo foi carregada para fora do campo, sendo consolada na lateral pelas companheiras de equipe.

Os Estados Unidos confirmaram a vitória com mais dois gols, de Ashley Hatch e Mallory Pugh. A seleção local, que soma quatro pontos em dois jogos, disputará o título no último dia desta terça-feira, dia 22, contra a Islândia, que soma seis pontos após a vitória por 2 a 1 sobre a República Checa no domingo.

Natasha Anasi marcou aos 11 minutos e Selma Sol Magnusdottir aos 18 para a Islândia, enquanto a checa Michaela Khyrova fechou a diferença. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.