Melhor em campo, Pirlo atende a pedido do filho

O volante Pirlo não podia esperar uma estréia melhor. Na primeira partida de sua carreira em uma Copa do Mundo, ele fez o gol que abriu o placar e foi eleito pela Fifa o melhor jogador em campo. Mas o que deixava mais satisfeito era ter feito a vontade de seu filho Nicolò, de três anos. "Conversamos por telefone na véspera do jogo e ele me pediu para fazer um gol. E consegui marcar para ele."O jogador do Milan era o que mais preocupava o time de Gana, como havia dito na véspera o capitão Appiah. Ele dizia que a chave para impedir a Itália de jogar era parar Pirlo. Custou caro não ter controlado o camisa 21. Pirlo teve um final de temporada ruim e também não tinha jogado bem nos amistosos de preparação, mas nunca deixou de confiar em sua qualidade. "Trabalhamos muito nas últimas três semanas para chegar bem ao jogo de estréia. Todo o time cresceu e comigo não foi diferente."O técnico Marcello Lippi entrou na sala de entrevista coletiva depois do jogo com a certeza de ter cumprido o que estava prometendo desde o início da preparação da Itália para o Mundial. Aos que criticavam o rendimento do time nos amistosos realizados na Suíça, ele sempre dizia: "Fiquem tranqüilos, estaremos bem no dia de nossa estréia." E nesta segunda ele fez questão de lembrar isso. "Gostei muito da nossa atuação. Eu havia dito a vocês que os italianos ficariam satisfeitos com o time e isso realmente aconteceu."Não foram só os italianos que gostaram do que viram. Joseph Blatter, presidente da Fifa, esteve no estádio e disse que foi a melhor partida da Copa até agora.Lippi ficou muito satisfeito com o grande número de chances que a equipe criou para marcar. E avisou que a estratégia que usou ontem se repetirá nos próximos jogos, ou seja, vai sempre sacar um dos homens ofensivos para reforçar o meio-de-campo no segundo tempo. "É uma maneira de reequilibrar a equipe."O sérvio Ratomir Dujkovic lamentou os erros de sua defesa e prometeu partir para cima da República Checa na próxima rodada. "Precisamos vencer, não temos outra opção."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.