Melhora estado de saúde do atacante Alberto

Melhorou o estado de saúde do atacante Alberto, 28 anos, do Dínamo de Moscou (Rússia), submetido na noite de quarta-feira, em Campo Grande (MS), a uma cirurgia pulmonar. Os médicos extraíram dos pulmões do atleta cerca de dois litros de secreções, procedimento que possibilitou uma melhora no funcionamento do sistema respiratório e reduziu drasticamente as chances de complicações da doença. O atacante, campeão brasileiro pelo Santos em 2002, foi internado sábado no Hospital Proncor, de Campo Grande, quase um mês depois de ter contraído a doença. O quadro clínico se complicou porque durante as primeiras semanas o problema estava sendo tratado pelos médicos do clube russo como sendo conseqüência de dores musculares. Nesta quinta-feira, Alberto conversou com médicos e enfermeiras. Sentado na cama, disse estar "muito bem". O jogador ficará por três dias no Centro de Terapia Intensiva e, depois disso, se tudo correr como o previsto, passará a ocupar um apartamento. Alberto deverá permanecer no hospital por mais sete ou oito dias. Pouco antes da cirurgia, Alberto contou ao pai, José Valdir de Souza, ter esperança de voltar a jogar no Santos, que deixou logo depois que a equipe foi campeã do Brasil em 2002. José Valdir afirmou, no entanto, que a única preocupação neste momento, é a recuperação total do jogador.Alberto tem contrato com Dínamo até 2006, e estava fazendo a pre-temporada com o clube na Espanha. Dias antes de chegar em Madri ele reclamou dores no peito e cansaço, mas não foi levado a sério no time russo. Por conta disso, acabou acompanhando a delegação. Um médico espanhol descobriu que Alberto tinha pneumonia em estado avançado. Na semana passada o jogador viajou para o Brasil.Ainda conforme o pai do jogador, levou 20 dias para que a doença fosse diagnosticada, o que poderia ter complicado ainda mais o estado de saúde do jogador. Alberto preferiu fazer a cirurgia em Campo Grande por ser a cidade onde nasceu, e onde estão todos os seus familiares. Além disso, não poderia voltar a Moscou, que neste época do ano, registra temperaturas muito baixas, clima que poderia se transformar num fator complicador da doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.