Melles quer saída de Ricardo Teixeira

Aumentou a pressão para que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, deixe o comando da entidade. Nesta terça-feira, o ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles, defendeu a saída do dirigente. "Precisamos ter a liberdade para reestruturar a CBF e é melhor, e sempre positivo, que o caminho esteja livre", afirmou Melles, durante um evento do Comitê Olímpico Brasileiro, no prédio da Bolsa de Valores do Rio. "Precisamos do Ricardo na Fifa, representando o Brasil".O ministro frisou que o presidente da CBF está disposto a colaborar com a reestruturação e modernização da entidade. Carlos Melles disse ter confiança na palavra de Ricardo Teixeira e, otimista, previu que o dirigente vai deixar o cargo até dezembro, com a realização de eleições até março de 2002.Nem Ricardo Teixeira ou qualquer outro dirigente da CBF se manifestou a respeito dessas declarações do ministro.De acordo com Carlos Melles, o novo presidente já assumiria a CBF sob nova estrutura administrativa, que estaria sendo elaborada pela "Comissão de Notáveis?, formada pelo próprio Ricardo Teixeira, pelo presidente de Honra da Fifa, João Havelange, pelo presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, e pelo ex-jogador Pelé. A expectativa é a de que a entidade passe a ter um conselho administrativo, composto por quatro diretores, com formação profissional em Esportes, sem a intervenção de dirigente amadores. "A CBF ainda não se pronunciou abertamente sobre esse assunto (saída de Ricardo Teixeira), porque ainda precisamos ter entendimentos mais amplos, que passam pelo grupo da bola (Comissão de Notáveis)", explicou Carlos Melles.Outra novidade prevista para a CBF é a criação de um Comitê Nacional de Atletas, a exemplo do que já existe no Esporte Olímpico, para fiscalizar as ações da entidade. Para viabilizar a criação deste novo órgão, uma reunião com os principais representantes do futebol brasileiro está sendo articulada. Carlos Melles já convidou o técnico Carlos Alberto Parreira e os ex-jogadores Dunga, Piazza, Gérson, Zico, Sócrates e Raí.O ministro ainda revelou que se reuniu com Ricardo Teixeira e o presidente da Fifa, Joseph Blatter, há cerca de 20 dias, na sede da entidade, em Zurique, na Suíça. Segundo Carlos Melles, o motivo do encontro foi para obter o aval da entidade para a criação das Ligas Independentes no Brasil.Carlos Melles informou que a conversa com o presidente da Fifa foi satisfatória e todas as dúvidas e problemas para a efetivação das Ligas foram solucionados. "Se a Fifa reconheceu as ligas de outros países, por que não aceitaria a nossa?", indagou o ministro. "Conheço somente duas pessoas, que não quero dizer os nomes, com responsabilidade de dirigente, que são contra as Ligas. O próximo Campeonato Brasileiro será organizado por elas", garantiu.Durante a reunião com Blatter, os entendimentos para a permanência definitiva de Ricardo Teixeira na Fifa, para viabilizar assuntos de interesse nacional, também foram iniciados. Atualmente, o presidente da CBF já integra o Comitê Executivo e a Comissão de Árbitros da Fifa.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2001 | 14h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.