Membro da Fifa, Makudi nega irregularidades na Tailândia

Membro do Comitê Executivo da Fifa, Worawi Makudi negou nesta quarta-feira as acusações de que cometeu irregularidades na sua gestão à frente da Associação Tailandesa de Futebol, além de ter rejeitado as especulações de que a entidade poderia ser dissolvida.

AE-AP, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 11h09

Worawi, que preside a Associação Tailandesa de Futebol, disse que a federação tem o direito de criar uma empresa com fins lucrativos para gerir a organização do campeonato nacional e não violou qualquer lei ao fazê-lo. Uma comissão anticorrupção parlamentar havia alegado que essa ação foi ilegal.

O dirigente já havia sido investigado e inocentado pela Fifa das acusações de que ele tinha se apropriado de recursos destinados ao desenvolvimento do futebol na Tailândia. Ele era um aliado próximo do catariano Mohamed bin Hammam, presidente suspenso da Confederação Asiática de Futebol, que foi acusado de corrupção no processo eleitoral da Fifa no ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaWorawi Makudi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.