Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Mena e Ytalo ficam sem contrato e não permanecem no São Paulo

Lateral-esquerdo e atacante se juntam a Kelvin em barca

Estadão Conteúdo

30 Dezembro 2016 | 17h30

Dos jogadores que estavam no elenco do São Paulo na reta final do Campeonato Brasileiro, quatro tinham seus contratos se encerrando em 31 de dezembro. Deles, só o goleiro reserva Léo renovou, por mais um ano, sendo emprestado para o Paraná. Os demais vão deixar o clube: Mena, Ytalo e Kelvin.

Mena estava no São Paulo emprestado pelo Cruzeiro. Apesar de ser titular da lateral esquerda, ele não continua no Morumbi para 2017. O time mineiro pediu alto para ceder o jogador chileno em definitivo e a diretoria tricolor não insistiu. O Internacional também teria estudado contratá-lo, desistindo depois de saber dos valores.

A situação é parecida com a Kelvin, que agradou em sua passagem pelo Morumbi e que só perdeu espaço por lesão. Ele pertence ao Porto, que o emprestou a clubes brasileiros nas últimas duas temporadas e só toparia fazer negócio em definitivo.

Ytalo também terminou o ano machucado, depois de passar por cirurgia no joelho em julho. Contratado depois de se destacar pelo Audax no Paulistão, ele assinou contrato com o São Paulo apenas até o fim de 2016. O vínculo poderia ser renovado automaticamente.

Além desses três, não devem permanecer no elenco do São Paulo para 2017 os meias Michel Bastos, que rescindirá, Jean Carlos (tem contrato até 31 de maio), Carlinhos e Daniel (ambos até o fim de 2017), que deverão ser emprestados ou usados como moedas de troca.

Por enquanto, o São Paulo já contratou o goleiro Sidão (ex-Botafogo), o meia Cícero (ex-Fluminense) e os atacantes Wellington Nem (ex-Shakhtar Donetsk) e Neílton (ex-Botafogo). Hudson foi para o Cruzeiro em troca por Neílton, enquanto que o lateral-esquerdo Júnior foi comprado junto ao Grêmio e o lateral-direito Foguete renovou contrato. Ambos se destacaram no sub-20 e serão incorporados ao elenco principal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.