Divulgação/Santos FC
Divulgação/Santos FC

Menino vítima de injúria racial visita CT do Santos e tira foto com Marinho e Soteldo

Luiz Eduardo, de 11 anos, que sofreu racismo em um jogo no interior de Goiás, ganhou camisas oficiais e chuteiras dos jogadores

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2020 | 16h49

Luiz Eduardo Bertoldo Santiago, o menino de 11 anos que foi vítima de racismo em um torneio de futebol infantil no interior de Goiás, teve um dia inesquecível. O garoto foi conhecer o CT Rei Pelé, tirou foto com os jogadores do Santos, o técnico Cuca e ganhou camisas, chuteiras e outros produtos do clube.

O Santos publicou registros da visita de Luiz Eduardo ao CT Rei Pelé na tarde desta quarta. O jovem posou para fotos com Marinho, Soteldo e outros atletas do elenco. Seus pais também estiveram no local. Ele foi convidado pelo time alvinegro para fazer um teste no início do ano que vem.

Na semana passada, viralizou na internet o vídeo de Luiz Eduardo chorando no momento em que contava ter sido vítima de injúria racial. O garoto afirmou ter ouvido a frase "fecha o preto aí" durante uma partida em Caldas Novas pelo Caldas Cup, torneio infantil de escolinhas de futebol. Após a abertura do Boletim de Ocorrência sobre o caso, os organizadores da competição decidiram suspender o técnico do time adversário acusado de ser o autor da injúria.

O vídeo gravado depois do jogo mostra o garoto chorando enquanto reclama do que ouviu dentro de campo na partida contra o Instituto S.E.T. pela categoria sub-11. "O cara falava assim: 'fecha o preto aí, ó!'. Aí eu aguardei para falar no final com os pais. Falou um tantão de vezes", disse o menino, chorando. 

O caso repercutiu muito nas redes sociais e o jovem recebeu o apoio de vários clubes e jogadores, incluindo de Neymar, que gravou um vídeo desejando força ao garoto e disse que está na torcida por ele.

"Vi que você passou uma situação completamente chata, triste. Infelizmente, a gente anda passando por esse tipo de coisa que não cabe mais hoje em dia. Quero te desejar força, muita luz, muito amor. Espero que você não desista do que você ama fazer, que é jogar futebol. Pegue isso como força, transforme isso em treino, em dedicação, em amor ao que faz, aos seus pais, à família, a todos, sem cor, sem raça nenhuma", afirmou o craque do Paris Saint-Germain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.