Menores infratores na "Olimpíada da Paz"

O futebol pode gerar cenas de violência como as da noite de ontem, em que torcedores do Vasco agrediram jogadores do Coritiba, em São Januário. Nesta sexta-feira, no Maracanã, porém, o exemplo de civilidade foi dado por diversos meninos infratores da Febem de São Paulo e de instituições do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Eles participaram da 2ª Olimpíada Socioeducativa pela Paz, organizada pelo Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), e demonstraram, além de alguma técnica, muita disciplina."É bom para mim. São atividades que nos mostram que há uma segunda chance", disse L. M. F., de 18 anos, interno do Educandário Santo Expedito, em Bangu, na zona oeste do Rio. Ele foi condenado a três anos e meio de reclusão por causa de um homicídio. "Fui passar um carnaval em Conservatória (interior do Rio) e saí com uma garota. Só que ela era namorada de um traficante do morro do Jacarezinho. Ele me ameaçou e tive que me defender. Aí, dei quatro tiros nele", contou.Contundido, L. M. F. não pôde participar do torneio e assistiu aos jogos à beira do campo, sempre apoiando sua equipe.Já A. S. P., de 18 anos, interno da Febem de São Paulo, disse que o envolvimento com as drogas, em especial a cocaína, o levou a "entrar para o mundo do crime". "Agora, estou tentando me curar do vício. E o futebol é uma paixão e me ajuda", afirmou o jovem torcedor do Corinthians. "Meu ídolo é o Neto. Vi muitos gols dele, pela televisão, aqui no Maracanã." A. S. P. era reserva do time da Febem. Não teve chance de atuar.Para o diretor do Degase, Sérgio Novo, o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê o acesso ao esporte aos meninos . "Esse é um dos eventos externos que promovemos. É uma alegria para eles disputarem jogos num lugar que é considerado o templo do futebol", disse."Esta é uma oportunidade de mostrarmos a estas crianças que elas têm um futuro", prosseguiu Sérgio, ressaltando que os principais delitos cometidos pelos internos são o envolvimento com as drogas, furtos e roubos. "Os homicídios possuem um índice muito baixo." O ex-jogadores Zé Maria (Corinthians) e Rodrigues (Santos) são os técnicos da seleção da Febem, formada por adolescentes de oito unidades de São Paulo. "É um trabalho importante e me sinto lisonjeado de estar participando", disse Zé Maria. Além do futebol, a olimpíada contou com outros esportes como atletismo, natação, vôlei, num total de 600 integrantes. E o Degase disponibilizou uma feira de saúde para tratamento dentário e exame de Aids para os ?atletas?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.