Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

'Menosprezo' ao Palmeiras é arma de Marcelo Oliveira

Assunto deve ser explorado com os atletas nas rodas de conversa

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

23 Novembro 2015 | 08h05

O fato de não conseguir apresentar um bom futebol há alguns jogos não é o que mais irrita a maioria dos jogadores, comissão técnica e diretoria do Palmeiras. O assunto que tem realmente tirado os palmeirenses do sério é o excesso de favoritismo que foi dado ao Santos na final da Copa do Brasil, que começará nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O assunto, inclusive, será bastante explorado pelo técnico Marcelo Oliveira nas conversas com os atletas sobre o jogo. A ideia é aproveitar o menosprezo ao Palmeiras como algo motivacional.

Alguns jogadores tentam evitar declarações polêmicas, mas internamente eles estão irritados com alguns comentários de que o Santos não terá dificuldades para ficar com o título. "Natural que façam suas análises, mas vamos ver quem está certo no dia 2 de dezembro, após o segundo jogo", avisou o goleiro Fernando Prass.

O atacante Lucas Barrios, em entrevista à SporTV, depois do empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, no último sábado, também deixou claro a sua insatisfação. "Não sei se o Santos está melhor e não me preocupo com eles. Estamos na final e creio que têm que nos respeitar", bradou o paraguaio. O fato de ter perdido o título do Campeonato Paulista para o Santos também é algo que não foi esquecido pelos jogadores.

Além do orgulho ferido, outro motivo que faz os palmeirenses se motivarem ainda mais para a decisão é o fato de poder classificar o time para a Copa Libertadores e também de receber um belo bônus pela conquista. Além da premiação oferecida pelo clube, a Crefisa, principal patrocinadora do clube, prometeu aos atletas uma grande quantia financeira em caso de título. Os números não foram divulgados, mas a reportagem apurou que a empresa pretende pagar algo em torno de R$ 5 milhões para ser dividido entre os atletas.

Como uma decisão que preze, o Palmeiras terá um esquema especial nos próximos dias. O time vai se concentrar logo após o treino da manhã desta segunda-feira e viaja para Santos na quarta, horas antes do jogo. Antes, na terça, Marcelo Oliveira fará um treinamento fechado, sem a presença da imprensa, onde testará a formação titular e fará alguns testes.

Arouca deve ser titular e a dúvida é sobre quem sai. Amaral não deve perder o posto, pelo menos no primeiro jogo que será realizado na Vila Belmiro. Como Dudu, Gabriel Jesus e Barrios também são presenças certas, a tendência é que Zé Roberto jogue na lateral esquerda e Matheus Sales vá para o banco de reservas.

IRRITAÇÃO POSITIVA

Ver os jogadores incomodados com o favoritismo do rival é algo que agrada a cúpula alviverde. A esperança é que a irritação seja o ingrediente que falta para fazer os atletas voltarem a jogar o que podem e conseguirem, de fato, superarem o rival.

A pressão em cima do trabalho de Marcelo Oliveira é muito grande e a cobrança no presidente Paulo Nobre para que ele tome atitudes drásticas em caso da perda do título é ainda maior. Muita gente defende que o treinador deixe o cargo até em caso de conquista da taça.

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Marcelo Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.