Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Mensagem ao caro amigo leitor do editor de Esportes do Estadão

Vamos estreitar esse relacionamento semanalmente a partir do próximo ano, até mesmo com mais vezes por semana. Também espero apresentar em breve a você a nossa equipe de jornalistas

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2018 | 19h57

Caro amigo leitor,

A partir de 2019, ano que já está aí na esquina, gostaria de estreitar meu relacionamento com você, abrir um canal para que possamos juntos aproveitar melhor as coisas do esporte que tanto gostamos e com as quais convivemos nessa temporada que se encerra. A propósito, sou o Robson, editor de Esportes do Estadão, de todas as plataformas do Estadão. As pessoas aqui na redação me chamam de Morelli, meu sobrenome. Morelli vem da Calábria, Itália. Gostaria que nos encontrássemos aqui no Estadão toda semana. Queria te ajudar a se informar das novidades e tendências do esporte, do que publicamos, como os fatos mais marcantes da semana que talvez você tenha perdido ou lido apenas superficialmente dada a correria de todos nós no dia a dia. Trabalho, escola, filhos, cursos... Também podemos nos encontrar para abordar temas do dia, seja no futebol ou qualquer outro assunto relevante para você.

Nesse primeiro contato, queria apenas agradecer o ano intenso que tivemos juntos no Esporte. Esse ano começou talvez com aquela confusão envolvendo dois gigantes do futebol paulista, Palmeiras e Corinthians. O Corinthians ganhou do Palmeiras dentro do Allianz Parque e ficou com o título Paulista, mas houve a percepção do lado palmeirense de que a arbitragem recebeu auxílio externo para anular um pênalti dado a favor do time de Roger Machado. Isso provocou a ira da diretoria do clube, conforme reportagem que o Estadão fez (leia aqui) com o presidente Maurício Galiotte chamando a competição de “Paulistinha”.

O palmeirense comprou a ideia e rompeu com a FPF. O caso foi parar nos tribunais até o clube aceitar a perda do título. O fato é que Palmeiras e FPF continuam rompidos e o clube deve disputar o Paulista-2019 com time reserva ou com garotos. Veja aqui quem o Palmeiras vai enfrentar no Campeonato Paulista de 2019. O caso ainda gerou punição de 45 dias ao presidente do Palmeiras, conforme matéria que o Estadão fez naquele dia, que você pode reler clicando aqui. Galiotte deu de ombros para o gancho e não mudou sua forma de comandar o clube.

Mas nem tudo foi confusão em 2018. A Copa do Mundo da Rússia nos reservaria muita festa e algumas lamentações também, a começar pela corrida que Neymar teve de fazer para se curar da contusão no dedinho do pé direito. Lembra? Aquilo foi uma novela e o Estadão contou toda a história, como na reportagem (que você pode reler agora) em que fizemos até um gráfico (arte) explicando o que é esse tal de metatarso.

Eu estive na Rússia um ano antes da Copa. Fui conhecer o país e suas instalações, preparar o terreno para a nossa equipe. Estive em quatro cidades, inclusive Sochi, onde o Brasil ficou. Quando voltei, fiz um infográfico bacana, que você pode rever aqui. Aproveite para me conhecer nos vídeos. Tenho saudade da Rússia.

Neymar se recuperou e foi protagonista de memes sobre sua atuação. Você chegou a ver uma nota que fizemos sobre esse assunto, com vídeos e algumas fotos? Se não, divirta-se agora clicando neste trecho. Ficou chato para ele e mais ainda para a seleção brasileira, que perdeu para a Bélgica, do grandalhão Lukaku. Por sinal, fizemos uma série chamada Estrelas da Copa com os principais jogadores do time. Veja se não acertamos na escolha revendo o nosso especial (é só clicar). Foi desanimador sair mais cedo da Copa. Os caras que cuidam da carreira de Neymar até propuseram uma ação de emergência para “salvar” sua imagem, como o Estadão publicou (leia aqui) com exclusividade.

Foi bacana ver a França, de Mbappé, jogar. Esse garoto encantou o mundo. Você sabia que ele cresceu na parte pobre de Paris, quase num gueto? O Estadão contou essa história, que você pode reler. Mbappé ficava atrás dos muros do seu bairro vendo as crianças do outro lado jogar futebol. Hoje, é elogiado até por Pelé. Vale mais do que Neymar. E a França ganhou a Copa e nós voltamos para casa. Contamos essa história e toda a caminhada da França e da Croácia para chegar à grande final numa arte impecável. Você viu? Veja então. E assim vamos esperar pela próxima Copa, no Catar.

Bom, essa primeira Carta do Editor não se propõe estender muito mais, embora gostaria de relembrar dois outros fatos marcantes na temporada. O primeiro foi a conquista do Palmeiras do seu 10º campeonato brasileiro. O Estadão cobriu bem a partida contra o Vasco, vitória de 1 a 0, e depois a festa propriamente dita no estádio do time em São Paulo, quando até o presidente eleito Jair Bolsonaro apareceu. E ele fez a maior festa, conforme você pode ver clicando neste trecho. Fizemos até uma galeria de fotos das 10 taças do Palmeiras. Não viu? Então clique aqui e veja.

O outro fato que roubou a nossa atenção foi a final da Libertadores e toda a confusão envolvendo a disputa, a agressão dos torcedores do River Plate ao ônibus do Boca Juniors, lembra? Você pode rever aqui nesta matéria do Estadão, e a decisão de levar o jogo para Madri. Enfim, esses são alguns episódios que tivemos neste ano e que dividimos com você. É claro que tivemos mais, mas ficaríamos aqui o dia inteiro nos lembrando dos fatos. Faremos isso mais vezes em 2019.

É isso! Vamos nos ver por aqui mais vezes. Aproveito para desejar a você um ótimo Ano Novo, de paz e saúde. O resto a gente consegue na raça. Aproveito para informar que estarei de férias no começo ne janeiro, mas volto no fim do mês.

Grande abraço.

Robson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.