Gabriel Bouys/AFP
Eden Hazard é a principal contratação do Real Madris para a temporada Gabriel Bouys/AFP

Mercado de transferências das principais ligas da Europa já movimentou R$ 6 bilhões

Antes mesmo da abertura da janela, equipes se movimentam para reforçar seus elencos; Real Madrid e Dortmund são os mais agressivos

Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2019 | 13h00

A janela de transferências nos principais mercados europeus só abre no dia 1.º de julho, mas isso não impede que as equipes já comecem a se movimentar para reforçar seus elencos para a próxima temporada. Até o momento, as ligas da Espanha (520), Alemanha (384), Itália (291) e Inglaterra (196) já investiram 1,3 bilhão de euros (R$ 6 bilhões), segundo valores do site especializado Transfermarkt.

Entre os times mais ativos até o momento estão Real Madrid e Borussia Dortmund, que juntos já gastaram mais de R$ 1,7 bilhão na compra de atletas. Outros negócios ainda prometem agitar as negociações, como as saídas de Griezmann do Atlético de Madrid, Neymar do Paris Saint-Germain e Pogba do Manchester United.

Made with Flourish

Na Espanha

Depois de uma temporada muito abaixo do esperado, o presidente do Real Madrid Florentino Pérez promete fazer a terceira edição dos Galácticos. Até o momento, a equipe já gastou 305 milhões de euros (R$ 1,3 bilhão) nas compras de Luka Jovic (Eintracht Frankfurt), Eder Militão (Porto), Mendy (Lyon), Rodrygo (Santos) e no grande nome até o momento: Hazard (Chelsea). E não deve parar por aí. Segundo a imprensa espanhola, Paul Pogba foi pedido por Zidane para fechar o elenco. O Manchester United, no entanto, não está disposto a abrir mão de sua estrela por menos de 130 milhões de euros (R$ 568 milhões). 

Para não ser punida no fair play financeiro, a equipe da capital espanhola agora precisa se desfazer de alguns nomes. Atletas que estão voltando de empréstimo são nomes quase certos na barca madrilenha: James Rodríguez, Mateo Kovacic, Borja Mayoral, Martin Odegaard e Raúl de Tomás (este em negociação avançada com o Benfica). Outros nomes já foram avisados que não fazem parte dos planos como Gareth Bale, Dani Ceballos, Keylor e Isco.

Já o outro gigante espanhol ainda está modesto nas movimentações. O Barcelona confirmou dois nomes até o momento: Frenkie de Jong (Ajax) e Emerson (Atlético-MG), somando 87 milhões de euros (R$ 380 milhões). Mas a grande movimentação catalã promete ser Antoine Griezmann. O atacante francês já se despediu do Atlético de Madrid e aguarda até o dia 1.º de julho, quando sua multa rescisória cai para 120 milhões de euros (R$ (524 milhões), para ser anunciado oficialmente. 

Mais modesto, o Atlético de Madrid só confirmou até agora a chegada do zagueiro brasileiro Felipe, que estava defendendo o Porto, por 20 milhões de euros (R$ 90,5 milhões). Ele chega para substituir Godín, que vai para a Inter de Milão em transferência sem custos. Para o posto de Griezmann, o nome mais cotado é o da revelação portuguesa João Félix (Benfica) 120 milhões de euros (mais de R$ 524 milhões). 

Na Alemanha

Os dois principais times da Alemanha estão se movimentando bastante. Depois de começar bem no Campeonato Alemão e ser ultrapassado na reta final, o Borussia Dortmund abriu os cofres para fazer frente ao Bayern de Munique. Thorgan Hazard (Borussia Monchengladbach), Nico Schulz (Hoffenheim), Julian Brandt (Bayer Leverkusen) e Paco Alcácer (Barcelona) custaram 96 milhões de euros (R$ 419 milhões).

Para não ficar para trás, o Bayern de Munique também está investindo no seu já estrelado elenco. Lucas Hernández (Atlético de Madrid) e Benjamin Pavard (Stuttgart) foram anunciados muito antes de a temporada chegar ao final. A dupla de campeões do mundo com a França custou 115 milhões de euros (R$ 502 milhões). Além dessas chegadas, alguns grandes nomes como Ribéry e Robben não tiveram seus contratos renovados e estão livres no mercado.

Outras ligas

Times da Inglaterra e Itália estão devendo até o momento. Na terra da Rainha, as movimentações envolveram apenas equipes menores. Raúl Jiménez (Benfica) foi comprado em definitivo pelo Wolverhampton por 38 milhões (R$ 166 milhões). O West Ham foi até a Espanha e adquiriu Pablo Fornals (Villareal) por 28 milhões de euros (122 milhões de reais). Já o recém-promovido Aston Villa pagou 25 milhões de euros no brasileiro Wesley Moraes (Club Brugge). Vale lembrar que um time que sempre costuma gastar muito dinheiro, o Chelsea, está proibido de inscrever jogadores nas próximas duas janelas.

Na Itália, o principal negócio até agora foi a compra em definitivo do volante Franck Kessié (Atalanta) pelo Milan , por 24 milhões de euros (R$ 104 milhões). A Juventus também garantiu a chegada do meia galês Aaron Ramsey (Arsenal) sem custos e tem o nome do argentino Mauro Icardi (Inter de Milão) ligado a uma troca com Paolo Dybala. Sem negócios fechados, os rumores tomam conta do noticiário no país. A Inter de Milão, agora com Antonio Conte, espera reformular seu ataque e os objetivos são Dzeko (Roma) e Lukaku (Manchester United). 

Neymar

Neymar já não parece ter todo o prestígio de antes no PSG. Após o presidente da equipe, Nasser Al Khelaifi,  dizer que "ninguém obrigou Neymar a assinar com o PSG", a permanência do astro na França já não é tão garantida. Como foi comprado por 222 milhões de euros (821 milhões na época) em 2017, sua transferência também deve envolver valores estratosféricos. Uma das opções é o craque brasileiro voltar para o Barcelona.

VALORES GASTOS NAS JANELAS DE TRANSFERÊNCIAS

2011: US$ 1,30 bilhão

2012: US$ 1,24 bilhão

2013: US$ 2,01 bilhões

2014: US$ 2,34 bilhões

2015: US$ 2,59 bilhões

2016: US$ 2,79 bilhões

2017: US$ 3,95 bilhões

2018: US$ 4,21 bilhões

FONTE: Fifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Bayern de Munique reformula elenco após heptacampeonato alemão

Franck Ribéry e Arjen Robben já foram avisados que não terão contratos renovados

Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2019 | 12h59

Elenco em reformulação, veteranos de saída e o presidente falando publicamente para uma estrela procurar outro clube. O cenário descrito até parece de um time em crise, mas na verdade marca o fim de um ciclo vencedor do Bayern de Munique, que terminou a temporada com heptacampeonato alemão e a conquista da Copa da Alemanha. Apesar de pouco comuns para um time já vitorioso, os movimentos que estão sendo feitos pela diretoria têm como objetivo voltar conquistar a Liga dos Campeões nos próximos anos.

Antes mesmo da temporada europeia terminar, o presidente Uli Hoeness mostrou que mudanças drásticas aconteceriam no elenco bávaro. Dois dos principais nomes do time, Franck Ribéry (36 anos) e Arjen Robben (35 anos) foram informados que seus contratos não seriam renovados. O brasileiro Rafinha (33 anos) também passou pela mesmo situação. Até mesmo zagueiro campeão do mundo com a Alemanha no Brasil, Boateng (32 anos), foi orientado pelo mandatário do Bayern a procurar um novo lugar para jogar.

“Como aviso de amigo, recomendo-o a procurar um novo clube. A porta aqui não está fechada, ele tem contrato, mas é melhor sair. Precisa de um novo desafio, a forma de estar dele é como se fosse a de um corpo estranho no grupo”, disse Hoeness entrevista ao jornal Bild.

Esses jogadores são os poucos remanescentes do time, que entre 2010 e 2013 chegou três vezes na final da principal competição de clubes do mundo. Foram dois vices - contra Inter (2010) e Chelsea (2012) - e um título - contra o Borussia Dortmund (2013). 

Campeão do mundo em 94 e com passagem de destaque por Bayer Leverkusen e Bayern de Munique, Paulo Sérgio explicou ao Estado que este era mesmo o "momento de renovação". "Ela vem em tempo oportuno porque o Bayern ganhou todos os títulos possíveis nos últimos anos. Esse elenco já foi campeão da Liga dos Campeões e muitos dos alemães também foram campeões do mundo com a seleção", explica o hoje comentarista da RedeTV!.

Outro ponto lembrado por Paulo Sérgio, que também é embaixador da Bundesliga (primeira divisão alemã) no Brasil, é a dificuldade de se manter veteranos com muito história no banco de reservas. "É difícil você ter no grupo um jogador veterano e ele se submeter ao banco de reservas. Ainda mais um atleta que sempre jogou e esteve na vitrine. Isso também acaba inibindo os mais jovens", explica. "Hoje nós vemos o Boateng descontente de estar no banco. Cheguei de Munique na última sexta-feira, 31, eu estava com o grupo e ví o descontentamento dele."

A última baixa confirmada no grupo foi a de James Rodríguez. O meia colombiano passou duas temporadas na Alemanha emprestado pelo Real Madrid e não teve a cláusula de compra, no valor de 42 milhões de euros (aproximadamente R$ 183 milhões), ativada.

Novas caras

No mesmo ritmo que os jogadores estão saindo, outros estão chegando. O Bayern já tem fechadas as contratações de dois laterais. Benjamin Pavard, do Stuttgart, e Lucas Hernandéz, do Atlético de Madrid. Ambos foram campeões do mundo pela França, na Rússia, e custaram 105 milhões de euros, aproximadamente R$ 456 milhões. Também já foi confirmada a chegada da revelação Jann-Fiete Arp, do Hamburgo.

Eles devem fazer parte do novo núcleo do time, que já conta com jovens valores como Leon Goretzka, Tolisso, Coman e Gnabry. Para esta transição, alguns atletas experientes serão mantidos, dentre eles Manuel Neuer, Mats Hummels, Robert Lewandowski e Thomas Müller.

A ideia do clube também é investir pesado em alguma grande estrela. Paulo Dybala (Juventus), Sané (Manchester City) e Hudson-Odoi (Chelsea) são nomes já confirmados publicamente pelo Bayern de Munique como alvos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Rodrygo chega ao Real Madrid e agradece confiança: 'Espero dar muitas alegrias'

Atacante de 18 anos foi apresentado no estádio Santiago Bernabéu nesta terça-feira

Redação, Estadão Conteúdo

18 de junho de 2019 | 09h46

A série de apresentações de reforços do Real Madrid teve sequência nesta terça-feira. Depois do meia belga Eden Hazard e do atacante sérvio Luka Jovic, foi a vez do brasileiro Rodrygo ser apresentado com pompa no estádio Santiago Bernabéu, em Madri. Ao lado do presidente Florentino Pérez, o atacante de 18 anos, que estava no Santos, recebeu a camisa branca de seu novo time, a vestiu e agradeceu a confiança depositada nele.

"Obrigado pela confiança que depositaram no meu trabalho. Espero dar muitas alegrias a vocês. Hala Madrid!", disse Rodrygo, mostrando timidez e explicando brevemente que está aprendendo a língua espanhola. O jogador foi negociado por cerca de 45 milhões de euros (R$ 195 milhões na conversão atual) em junho de 2018.

Antes de Rodrygo falar, o presidente do clube fez vários elogios ao jogador brasileiro. "Nossa estratégia sempre foi a busca pelo talento. E isso passa por trazer jovens com futuro e presente extraordinários e que sonham em marcar época no Real Madrid. Hoje (terça-feira) chega um destes prodígios. Um jogador que já se provou em um país onde o futebol é praticamente uma filosofia de vida", afirmou Pérez.

"Rodrygo foi formado em um clube como o Santos, que, para nós que amamos futebol, é sinônimo de grandes lendas. Agora, depende de você fazer com que o sonho de nossos fãs se torne realidade", completou o presidente, se dirigindo a Rodrygo. O brasileiro assinou contrato até o final da temporada 2024/2025, mas ainda não teve a sua numeração definida.

Depois da apresentação aos jornalistas, Rodrygo foi para o gramado do Santiago Bernabéu. Lá, o brasileiro foi saudado por milhares de torcedores que se postaram atrás de um dos gols. Jogou bolas para os fãs, tirou selfies, inclusive com o ex-lateral-esquerdo brasileiro Roberto Carlos, que é um dos maiores ídolos da história do clube e trabalha como embaixador merengue pelo mundo e conselheiro das divisões de base.

Além de Rodrygo, o Real Madrid já se reforçou até agora com o Hazard, ex-Chelsea, Jovic, ex-Eintracht Frankfurt, e o lateral-esquerdo Mendy, ex-Lyon. O clube também contratou o atacante japonês Kubo para atuar inicialmente pelo Real Madrid Castilla, sua equipe B que disputa a segunda divisão espanhola.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.