Mercado financeiro crê que Olimpia levará a Libertadores

56% dos analistas acreditam na conquista do time paraguaio diante do Atlético-MG, no Mineirão

FLAVIO LEONEL, MARIA REGINA SILVA E DENISE ABARCA, Agência Estado

24 de julho de 2013 | 18h50

SÃO PAULO - A maioria dos economistas do mercado financeiro aposta que o Atlético Mineiro vencerá o Olimpia no tempo normal, na decisão desta quarta-feira da Copa Libertadores, mas não conseguirá o desejado título inédito da competição. Conforme levantamento realizado pelo AE Projeções com 25 analistas, o time paraguaio será campeão continental pela quarta vez, após uma sequência de três conquistas consecutivas do futebol brasileiro. Na pesquisa do serviço especializado do Broadcast sobre o resultado no tempo normal no estádio do Mineirão, 84% dos analistas creem em vitória do clube mineiro, 12% em empate e apenas 4% no êxito do Olimpia. Quanto ao título, os palpites estão mais equilibrados, já que 44% veem o primeiro título da Libertadores para o Atlético e 56% acreditam na conquista do adversário.

No ano passado, uma pesquisa do AE Projeções feita na véspera do segundo jogo da final havia mostrado que a maioria dos economistas tinha a expectativa do Corinthians campeão da Libertadores sobre o Boca Juniors, da Argentina. A equipe paulista conquistou o título inédito da competição, de maneira invicta, depois de empatar por 1 a 1 no jogo de ida, em Buenos Aires, e vencer o jogo de volta, em São Paulo, por 2 a 0.

No caso da decisão de 2013, a missão do Atlético Mineiro é um pouco mais difícil, já que a equipe brasileira perdeu o jogo de ida, em Assunção, por 2 a 0. Para chegar ao título no tempo normal, o time comandado pelo técnico Cuca precisa vencer por três gols de diferença. Se ganhar por dois gols de diferença, haverá prorrogação, conforme o regulamento específico para a final da Libertadores. Para chegar ao quarto título, o Olimpia pode perder até por um gol de diferença. Caso uma eventual prorrogação termine empatada, a decisão vai para os pênaltis.

Responsável pela melhor campanha da Libertadores de 2013 na primeira fase, o Atlético já alcançou, com a final inédita, seu melhor desempenho em cinco disputas. Antes da participação deste ano, a equipe brasileira havia chegado no máximo às semifinais, em 1978.

Quanto ao Olimpia, o clube é o terceiro que mais disputou Libertadores, com 37 participações. A decisão desta quarta é a sétima da equipe paraguaia, que venceu os títulos de 1979, 1990 e 2002 e foi vice-campeão em 1960, 1989 e 1991.

A maioria dos analistas consultados participou do levantamento do AE Projeções sob a condição do anonimato, mas o economista Pedro Ramos, do Banco Sicredi, não fez restrições e confirmou sua aposta no clube paraguaio para o título. Ele ressaltou que gostaria que o Atlético Mineiro fosse o campeão da Libertadores, mas avaliou ser essa uma possibilidade remota.

Segundo o economista, o time mineiro até pode vencer a partida, por 1 a 0, mas o título não deve ficar com o "galo". "É um tanto difícil, embora o Atlético vá contar com alguns reforços, o que pode favorecer, mas reverter 2 a 0 é complicado".

Para tentar se sair melhor, Ramos acredita que o Atlético precisa marcar um gol já no começo da partida. "Se passar o primeiro tempo, início do segundo, e não fizer gol, já pode começar a dar adeus ao título", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.