Andrew Yates / Reuters
Andrew Yates / Reuters

Mercado inglês segue movimentado nas últimas semanas antes do início do campeonato nacional

Everton diz que irá negociar Ross Barkley; Arsenal tem proposta por Lemar recusada

Estadão Conteúdo

28 de julho de 2017 | 11h11

Mesmo com a nova fase do Everton, que está investindo alto para voltar a disputar títulos na Inglaterra, o meiocampista Ross Barkley não se animou em permanecer no clube. Após ter propostas pela renovação de contrato recusadas, o técnico do time azul de Liverpool, Ronald Koeman anunciou que o atleta da seleção inglesa não faz mais parte dos planos do clube.

"Fizemos uma oferta muito vantajosa e ele recusou, porque está à procura de um novo desafio. Tudo bem, não faz parte dos planos do Everton. É a decisão dele e temos de respeitá-la", disse o treinador holandês.

Barkley passou por cirurgia na virilha e deve ficar ainda mais três semanas em recuperação. Segundo a imprensa inglesa, o Everton já teria escolhido o seu substituto: o islandês Sigurdsson, atualmente no Swansea, que, em caso de ser contratado, se juntaria ao goleiro Pickford, os atacantes Sandro e Rooney, o meia Klaassen, o zagueiro Keane e os laterais Onyekuru e Martina como novo jogador do time.

NO RIVAL

O Liverpool, maior rival do Everton, ainda negocia pelos seus dois principais alvos nesta janela, o zagueiro Virgil Van Dijk, do Southampton, e o volante Naby Keita, do RB Leipzig. No primeiro caso, zagueiro se recusou a entrar em campo para disputar os amistosos de pré-temporada, por desejar sair do clube, e foi afastado do grupo. Os Reds têm tido cautela, depois de ser acusado de aliciar o jogador pelo time do sul da Inglaterra no início de julho, e só irão negociar caso o Southampton aceite vendê-lo.

Para Keita, a imprensa inglesa reporta que o RB Leipzig já recusou duas ofertas pelo atleta, no valor de 57 milhões e 66 milhões de libras (R$ 234 e 271 milhões de reais, respectivamente). Jurgen Klopp e a diretoria do Liverpool avaliam se prosseguem com a negociação ou esperam a janela do meio de 2018, quando a cláusula de rescisão no contrato do meiocampista passa a ser válida.

Para a temporada 2017-18, o Liverpool já anunciou os atacantes Salah e Solanke e o lateral esquerdo Robertson como reforços, mas vê sua principal estrela, Philippe Coutinho, na mira do Barcelona.

EM LONDRES

O jornal Daily Mail publicou que o Arsenal teve a terceira proposta pelo atacante Thomas Lemar recusada. O clube inglês teria oferecido 51 milhões de libras (R$ 210 milhões) pelo atacante, mas o Monaco procura manter os principais jogadores da última campanha que ainda restaram em seu elenco e negou que Lemar irá sair do clube. O Arsenal já contratou o centroavante Lacazette e o lateral direito Kolasinac na atual janela, e pode perder o atacante Alexis Sánchez, que alegou estar doente para não se apresentar ao clube após as férias. O chileno está na lista de desejos do PSG.

Tentando negociar o volante Renato Sanches, o presidente do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge disse que Antonio Conte fez consulta pelo jogador. "Ele acredita que Sanches pode fazer diferença no campo" afirmou o ex-jogador, que apontou que "ao menos 10 times" estão interessados no português. O Chelsea já realizou as aquisições do zagueiro Rüdiger, do goleiro Caballero, do volante Bakayoko e do centroavante Morata para a próxima Premier League. Segundo o jornal The Sun, outro alvo do time azul de Londres seria o lateral brasileiro Alex Sandro, da Juventus.

UNITED PROCURA MAIS UM ATACANTE

Depois de ter contratado o centroavante Romelu Lukaku, o Manchester United manifestou interesse em Gareth Bale, do Real Madrid. Zidane, técnico do clube espanhol, admitiu que o futuro de Bale não está garantido em Madrid. Caso os merengues consigam a contratação de Mbappé, grande alvo da janela, Bale certamente perderia ainda mais espaço no time. Bale seria o terceiro reforço do Manchester United, que além de Lukaku, contratou o zagueiro Lindelof.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.