Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Mesmo após contratações, Palmeiras continua a sofrer com os pontas

Apostas do ano para a posição não se firmam no time titular e dão vaga para outras tentativas

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

07 de maio de 2019 | 04h30

O Palmeiras encerra nesta semana a participação na fase de grupos da Copa Libertadores sem ter resolvido o principal problema da equipe para a temporada. A procura por pontas velozes resultou na contratação de jogadores para o setor, mas os reforços não tiveram o rendimento esperado. Até agora, perto do meio do ano, o setor continua sem titulares absolutos.

Carlos Eduardo, trazido por cerca de R$ 22 milhões, e Felipe Pires, emprestado pelo Hoffeinheim, da Alemanha, tiveram algumas oportunidades ao longo desta temporada, sem ainda se firmarem no time do técnico Luiz Felipe Scolari. Nos últimos jogos, por exemplo, o treinador escolheu escalar na posição de ponta opções que são meias de origem.

No último fim de semana, na vitória por 1 a 0 sobre o Inter, pelo Campeonato Brasileiro, Carlos Eduardo ficou no banco de reservas o jogo interior. Já Felipe Pires sequer foi relacionado. No segundo tempo, quando o Palmeiras mexeu e procurou dar mais profundidade ao time pelas pontas, Felipão resolveu justamente dar oportunidade aos meias Raphael Veiga e Hyoran, e não aos pontas.

O Palmeiras identificou no segundo semestre do ano passado ter uma carência entre as opções de atletas velozes que atuam pelos lados do campo. A venda de Keno deixou o time sem alguém com essa característica no elenco, situação piorada em novembro. A lesão grave no joelho de Willian, submetido a uma cirurgia no joelho direito, fez a comissão técnica traçar como prioridade na janela de transferências a vinda de pontas velozes.

Por isso o maior investimento do Palmeiras nesta janela foi fechar com Carlos Eduardo, trazido do Pyramids, do Egito, justamente o mesmo clube que levou Keno em junho do ano passado. A diretoria alviverde monitorava há alguns meses a situação de Felipe Pires e conseguiu fechar também a vinda dele. Dentro de campo, os dois não se firmaram como titulares e anotaram um gol cada, marcados em partidas da primeira fase do Campeonato Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.