Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Mesmo classificado, Carille concorda com vaias na Copa do Brasil

Corinthians empatou por 2 a 2 com o Ferroviário e saiu vaiado de Londrina - mesmo com a vaga na próxima fase

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2019 | 07h02

O técnico do Corinthians, Fábio Carille, admitiu a má atuação da equipe no empate diante do Ferroviário nesta quinta-feira, na qual esteve duas vezes atrás no placar, mas avançou com um empate por 2 a 2 em Londrina. O treinador concordou com as vaias ouvidas no estádio do Café no final da partida. 

“Tem que vaiar mesmo, não jogamos bem. Expectativa era outra nossa também Viemos fazer um jogo de ficar mais com a bola, mas vimos o adversário ficar mais com a bola. Erramos muitos passes, com isso o adversário rodou a bola no nosso campo Temos que entender o torcedor, a gente tem que melhorar”, avaliou o treinador em entrevista coletiva no estádio do Café, em Londrina (PR).

O treinador fez questão de destacar que já conhecia o atacante Edson Cariús, autor dos dois gols do time cearense. “Todos os jogadores praticamente que a gente conhece, rodados no Nordeste, time que ganhou do Ceará na última rodada, período maior de trabalho, não surpreendeu, não. Foi tudo passado, questão do pivô, como ele gosta de girar. Ainda que não jogou Siloé e o lateral direito que sempre joga a bola na área. Faltou mais atenção nossa mesmo”, analisou.

Carille afirma que o time ainda tem muito a evoluir. “Falta um pouco de tudo. Em 10 anos de clube você já sabe algumas coisas. Depois que você tem uma vitória dessa (Palmeiras) o próximo jogo é sempre complicado, porque você é um Deus, o melhor goleiro, então trabalhei bastante esse quesito. Mas preciso rever meu trabalho para incentivar ainda mais”

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFábio Carillefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.