Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

Mesmo com derrota, Brasil festeja título do Sul-Americano Sub-17

Equipe entra em campo com taça garantida e leva 1 a 0 da Colômbia

Estadão Conteúdo

30 Março 2015 | 09h09

A seleção brasileira recuperou a sua hegemonia no Sul-Americano Sub-17. Na noite de domingo, a equipe conquistou pela 11ª vez o título da competição mesmo que tenha sido derrotada na última rodada do hexagonal final pela seleção da Colômbia por 1 a 0, em partida disputada em Luque, no Paraguai, país-sede do torneio.

A conquista foi assegurada antes mesmo do Brasil entrar em campo, pois as três equipes que lutavam diretamente com a seleção pelo título tropeçaram no último domingo: Equador e Argentina não passaram de um empate por 0 a 0, enquanto o Uruguai perdeu por 2 a 1 para o Paraguai. 

Em campo, o Brasil acabou caindo para a Colômbia, que venceu a partida por 1 a 0, com o gol marcado por Cetré. No duelo, o técnico Caio Zanardi escalou a seleção com a seguinte formação: Juliano, Kleber, Zé Marco, Léo Santos e Caíque; Andrei (Ramon), Renan, Lincoln e Matheus Pereira (Eronildo); Leandro e Marco Túlio (Mauro Júnior).

No Paraguai, o Brasil fez uma campanha irregular na fase de grupos, com vitórias sobre Colômbia (3 a 2) e Peru (3 a 0), empate com o a seleção anfitriã (2 a 2), derrota para a Venezuela (3 a 2), mas que foi suficiente para garantir a passagem ao hexagonal final. 

O Brasil iniciou a sua participação na fase decisiva com derrota para a Argentina (1 a 0), mas depois venceu três duelos seguidos, com Equador (2 a 1), Uruguai (3 a 2) e Paraguai (3 a 2), antes do tropeço do último domingo, que não impediu a conquista. Além disso, a seleção teve o artilheiro da competição, Leandro, com oito gols marcados. 

O título do Sul-Americano também garantiu a presença do Brasil na próxima edição do Mundial Sub-17, que será realizado no Chile, ainda neste ano, entre outubro e novembro. Outras três vagas estavam em disputa no torneio e foram asseguradas por Argentina, Equador e Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.