Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Mesmo com desfalques, defesa mantém padrão e empurra Palmeiras para a vice-liderança do Brasileirão

Com apenas cinco gols sofridos, ao lado do Santos, equipe de Abel Ferreira tem a melhor defesa do campeonato

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2022 | 08h00

O Palmeiras entrou em campo contra o Juventude com quatro desfalques importantes na defesa: os zagueiros Gustavo Gómez, que estava suspenso, e Luan, que ainda está voltando de lesão, e os laterais Mayke e Piquerez, que estão machucados. Mesmo assim, o time mostrou solidez e não tomou gols fora de casa.

Segundo o lateral-direito Marcos Rocha, o técnico Abel Ferreira sempre reforça a necessidade de o time não sofrer gols. "Ele pede uma defesa menos vazada pois sabe que temos uma equipe muito qualificada à frente. Nem sempre conseguimos, mas sabemos a força da nossa defesa, que costuma não sofrer gol", disse.

Em sete partidas no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras sofreu apenas cinco gols e ao lado do Santos tem a defesa menos vazada do torneio. Não fosse os três gols que tomou do Ceará na estreia da competição, a média seria melhor ainda. E quando a zaga faz sua parte lá atrás, o caminho fica mais fácil para o ataque, que costuma contribuir com gols. "Pela qualidade que temos, podemos fazer gol a qualquer momento. Se segurar ali, podemos sair com a vitória", avisou o lateral.

Marcos Rocha festejou a subida do Palmeiras na tabela de classificação. Com a vitória sobre o Juventude, ficou a apenas um ponto do líder Corinthians e quer aproveitar o bom momento defensivo para embalar em todas as competições da temporada: Brasileirão, Copa Libertadores e Copa do Brasil.

Para Marcos Rocha, o Palmeiras está no caminho certo para conquistar mais troféus na temporada. "Estou muito feliz pelo trabalho que tem sido feito. A equipe está muito consistente e temos como objetivo vencer todas as competições. Sabíamos que uma vitória nos colocaria próximo dos quatro primeiros no Brasileirão", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.