Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Mesmo com negociação demorada, Santos mantém confiança para contratar Jorge

Presidente diz que mudanças na diretoria do Monaco atrasaram as conversas

Redação, Estadão Conteúdo

26 de março de 2019 | 11h46

A tentativa do Santos de se reforçar com Jorge não chegou ao fim. Embora a negociação para contratar o lateral-esquerdo pertencente ao Monaco tenha se iniciado há meses, o presidente José Carlos Peres segue confiante de que irá concretizar a chegada do jogador para a sequência da temporada.

De acordo com Peres, mudanças na diretoria do Monaco atrasaram a negociação. Mas também apontou que inviabilidade do clube de utilizar Jorge no Campeonato Paulista levou a diretoria a não ter pressa para fechar a contratação do lateral-esquerdo.

"Houve troca na diretoria do Monaco e acabou atrasando. Como ele não poderia jogar o Paulista, nem nós nem eles corremos. Ele disputaria Copa do Brasil e Brasileiro. Estamos negociando. Em função disso, nos próximos dias há grande possibilidade de encerrar essa negociação. Estou confiante", disse o dirigente em entrevista coletiva.

Jorge, de 22 anos, foi negociado pelo Flamengo com o Monaco em 2016, mas antes do começo da temporada 2018/2019 acabou sendo emprestado ao Porto. Lá, porém, vinha sendo pouco aproveitando, tendo atuado apenas duas vezes pela equipe principal - também defendeu o time B.

Como a negociação com Jorge chegou a ficar na iminência de ser fechada, o jogador até deixou a Europa e retornou ao Brasil. Mas o impasse envolvendo a oficialização da sua transferência o mantém à espera de uma resolução para o seu futuro.

Embora o Santos tenha se reforçado recentemente com Felipe Jonatan, a lateral esquerda continua sendo uma das carências do elenco do Santos. O técnico Jorge Sampaoli começou a temporada apostando em Orinho na função, mas as suas atuações irregulares levaram o treinador a improvisar Copete na posição, cenário que só se alterou com a contratação do ex-jogador do Ceará.

A chegada de Jorge seria importante para o Santos não apenas para aumentar a concorrência no setor, mas também porque Felipe Jonatan atuou na Copa do Brasil pelo seu antigo clube, o que inviabilizaria o seu aproveitamento na sequência da competição nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.