Mesmo com pena leve, Guarani deve recorrer de punição do STJD

O Guarani deve recorrer da punição sofrida no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na noite de terça-feira. O clube perdeu dois mandos de campo e levou uma multa de R$ 16 mil por causa de problemas ocorridos em partida contra a Portuguesa, na 16ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. O Guarani corria o risco de perder o mando de até 10 jogos e de receber multa de até R$ 300 mil.

Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2015 | 20h25

O presidente Horley Senna afirmou que não considera a punição justa e que o clube não tem culpa dos incidentes. No episódio que gerou o processo, jogadores e comissão técnica da Lusa relataram que faltou água e luz no vestiário dos visitantes do Brinco de Ouro. Além disso, dirigentes do clube teriam sido vítimas de tentativa de agressão por torcedores do Guarani.

Segundo Senna, o clube "não tem nenhuma responsabilidade", já que a queda de energia foi "consequência de um curto circuito". O cartola também alegou que o atraso da partida foi culpa de um diretor da Portuguesa, que foi ao gramado reclamar.

Quanto à invasão aos camarotes, apesar da comprovação de que o portão foi arrombado, Horley Senna acredita que a identificação de dois agressores - um sócio-torcedor e um sócio-patrimonial - pode ser usada como argumento da defesa. O prazo para entrar com um recurso é de três dias. Se a pena for mantida, a perda de mando será cumprida na Série C de 2016 e não na Série A2 do Campeonato Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.