Frank Augstein/AP
Frank Augstein/AP

Mesmo com placar magro em amistoso, Tite destaca 'futebol bem jogado'

Treinador venceu os seis amistosos após a Copa do Mundo, o último contra Camarões

O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2018 | 21h49

A vitória sobre Camarões encerrou o ano da seleção brasileira. Após a frustração pela eliminação precoce na Copa do Mundo, o time conseguiu seis vitórias nos amistosos: Estados Unidos, El Salvador, Arábia Saudita, Argentina, Uruguai e Camarões. Tite festejou a possibilidade de fazer tantos testes na equipe. O volante Allan, que atua no Napoli, e o atacante Richarlison, autor do gol do triunfo por 1 a 0, foram os destaques da partida diante no estádio Milton Keynes, nos arredores de Londres.

"O mais importante foi dar oportunidade para aqueles jogadores que estão surgindo bem na Europa ou no Brasil. Fizemos isso e conseguimos manter a estrutura básica da equipe", disse o treinador em entrevista coletiva em Londres.

Tite se desculpou com jogadores que não foram escalados. "Eu me desculpei com o Dedé, o Rafinha e o Fabinho. Se eles entrassem em um jogo difícil, com o placar apertado, eles estariam pressionados. Nosso objetivo é fazer jogos com consistência. Podem até ser algumas partidas ruins, que não encantem, mas ao menos temos de garantir a vitória", disse o treinador.

O treinador da seleção ficou satisfeito também o nível técnico da partida. "Eu até parabenizei o Seedorf (técnico de Camarões). O jogo foi para quem procura um futebol bem jogado, nós não tivemos uma bola quebrada. Ele (Seedorf) também trouxe um processo criativo. Enfim, foi um espetáculo bom de assistir". 

A defesa da seleção brasileira foi bem ao longo do ano. O time sofreu apenas três gols no ano, a melhor média da história. Uma muralha. Por outro lado, os dois gols sofridos diante da Bélgica definiram a queda na Copa da Rússia. "Nós passamos mais um jogo sem tomar gols. Em compensação, até o momento só não marcamos gol apenas em uma partida oficial, que foi contra a Bolívia.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.