Mesmo com protestos, Ponte segue confiante no acesso

Sem vencer há duas partidas pela Série B, os jogadores da Ponte Preta sentiram a revolta da sua própria torcida no último sábado. Após o empate em casa, por 2 a 2, diante do Fortaleza, o ônibus da delegação foi cercado na saída do Estádio Moisés Lucarelli e, durante o percurso, uma pedra foi atirada e quebrou um dos vidros, atingindo o rosto do goleiro reserva Fábio. Mesmo sob a desconfiança da torcida, os jogadores do time campineiro seguem confiantes no acesso. O meia André, que substituiu Renato, suspenso, contra o Fortaleza, garante que o resultado do último sábado não vai atrapalhar a equipe em sua caminhada rumo à Série A de 2009."É claro que estávamos contando com a vitória e lamentamos muito por ela não ter acontecido. Mas ainda restam sete rodadas e vamos seguir firmes na briga para tentar levar a Ponte a conquistar o acesso em 2008", disse.Quem também mostrou otimismo em relação à reta final da Série B é o volante Deda. Suspenso contra o Fortaleza, ele volta ao time nesta sexta-feira, ante o Vila Nova, fora de casa, e garante que a partida será encarada como uma verdadeira decisão pela Ponte Preta. "Podemos dizer que será o jogo do ano para nós. Só a vitória nos interessa e vamos em busca dela. Para isso teremos que jogar com muita garra e aplicação tática", destacou Deda. Além de Deda, Renato e Gum voltam ao time após cumprirem suspensão automática. Por outro lado, o goleiro Aranha foi expulso no empate de sábado e está fora. Fábio, se recuperado até sexta-feira, será o seu substituto. Sem vencer há duas partidas, a Ponte é a sexta colocada, com 48 pontos, a quatro do G-4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.