Sergei Karpukhin/ Reuters
Sergei Karpukhin/ Reuters

'Mesmo com queda, Putin está orgulhoso da seleção russa', diz porta-voz

Presidente da Rússia ligou para o técnico Stanislav Cherchesov após queda diante da Croácia

Estadão Conteúdo

07 Julho 2018 | 20h22

Apesar da eliminação da seleção da Rússia neste sábado, o presidente Vladimir Putin afirmou estar "orgulhoso" do desempenho da equipe na Copa do Mundo, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. Os russos caíram no Mundial diante da Croácia, nas penalidades, em Sochi.

+ Irritado, Cherchesov se recusa a responder perguntas após eliminação da Rússia

+ Croácia sofre, mas elimina Rússia nos pênaltis e volta a uma semifinal de Copa

"O presidente assistiu ao jogo e sofreu", disse Peskov, antes de citar Putin: "Nosso time perdeu de uma maneira honesta, num jogo bonito. Mas, para nós, são grandes companheiros, são heróis. Eles morreram em campo. Estamos orgulhosos deles".

A Rússia foi eliminada pela Croácia nos pênaltis por 4 a 3, após empate por 2 a 2 na prorrogação e 1 a 1 no tempo normal. Ao fim do jogo, o técnico russo Stanislav Cherchesov revelou ter recebido uma ligação do presidente antes e depois da partida.

"O Putin me ligou durante o dia e ele também ligou agora. Ele nos parabenizou pelo bom jogo que fizemos. E afirmou que o que nós mostramos em campo foi grandioso. Eu disse a ele que estávamos decepcionados. E ele nos disse para manter os olhos abertos e dar sequência aos próximos passos", declarou o treinador.

 

Para Cherchesov, a boa campanha da Rússia na Copa fez a torcida local passar a "amar" a seleção. "Eu acredito que as pessoas não apenas começaram a confiar em nós como também passaram a nos amar. O país inteiro está apaixonado por nós. Eles sabem que a seleção russa vale a pena", afirmou.

Com a queda nas quartas de final, a Rússia obteve sua melhor campanha em uma Copa do Mundo desde o fim da União Soviética. A seleção russa, desde a Copa de 1994, não passava da fase de grupos - como União Soviética, chegou à semifinal, em 1966.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.