Dolores Ocho/AP
Dolores Ocho/AP

Mesmo com um a mais, Aguirre exalta empate, mas pede evolução

Inter ficou no 1 a 1 com o Emelec nesta quarta, pela Libertadores

Estadão Conteúdo

19 Março 2015 | 10h05

O Internacional foi ao Equador e saiu atrás do Emelec pela Libertadores. Aos 10 minutos do segundo tempo, o jogo mudou: Lastra foi expulso e o time brasileiro marcou o gol do empate em cobrança de escanteio. Com 35 minutos em vantagem numérica, no entanto, os gaúchos não souberam aproveitar a superioridade, pelo contrário, foram pressionados e quase saíram com a derrota. Ainda assim, o técnico Diego Aguirre viu o empate por 1 a 1 com bons olhos.

"Sim, estou satisfeito com o resultado, porque era um dos objetivos para alcançar a classificação. A primeira parte foi controlada, tivemos dificuldades dentro do normal. No segundo tempo fomos bem, mas tivemos problemas e podíamos ter perdido o jogo", disse.

O contentamento com o resultado, no entanto, não significa que Aguirre gostou do futebol exibido pelo Inter. Pelo contrário, o treinador admitiu a necessidade de melhorar se a equipe quiser brigar pelo título do torneio sul-americano. Atualmente, ocupa a segunda posição do Grupo 4 com sete pontos em quatro jogos.

"Para termos vida longa na Libertadores, temos de compactar mais o time, mostrar mais futebol. Poderia dar alguma desculpa, pelo campo ruim, o calor, pelo D''Alessandro e o Nilmar não estarem aqui, mas não posso. Temos jogadores de qualidade no plantel. Cada um tem que assumir os rendimentos e tentar olhar para frente", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.