Marco Oliveira/Atlético-PR
Marco Oliveira/Atlético-PR

Mesmo com um a mais, Atlético-MG erra no fim e perde em casa do Atlético-PR

Gol solitário de Sidcley definiu o jogo, mas mantém equipe paranaense na lanterna

Gabriel Melloni, Estadao Conteudo

14 de junho de 2017 | 21h38

O Atlético-MG levou seu torcedor ao desespero no Independência, nesta quarta-feira, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Com um a mais desde o primeiro tempo contra o lanterna Atlético-PR, foi superado por 1 a 0 nos acréscimos, graças ao erro bizarro de Felipe Santana que resultou no gol de Sidcley.

O resultado torna ainda mais intensa a pressão sobre o técnico Roger Machado, que não consegue dar padrão de jogo a um dos favoritos ao título. Prova disso é que o Atlético-MG tem apenas seis pontos e entrou na zona de rebaixamento, na 17.ª colocação.

Por outro lado, o Atlético-PR deu uma resposta à torcida com a vitória heroica, após atuar com um jogador a menos por cerca de 50 minutos - Lucho González foi expulso ainda no primeiro tempo. Mas o time paranaense segue na lanterna da competição, com apenas cinco pontos.

As duas equipes voltam a campo pelo Brasileirão no fim de semana. O Atlético-PR visita o Atlético-GO no sábado, às 16 horas. Já o Atlético-MG viaja para encarar o São Paulo no Morumbi no dia seguinte, também às 16h.

O JOGO

O Atlético-MG começou tentando impor seu ritmo, mas foi o Atlético-PR que chegou primeiro. Logo aos dois minutos, Sidcley cruzou para Yago, que bateu de primeira para fora. Na sequência, Nikão recebeu sozinho na área e teria grande oportunidade se não fosse o carrinho preciso de Leonardo Moura.

Mas não demorou para o Atlético-MG se estabelecer, com bem mais movimentação do que nas últimas rodadas, principalmente de Elias. Aos 12, ele apareceu na área e tentou o cruzamento, mas mandou direto para o gol, exigindo boa defesa de Santos.

Aos 25, Rafael Moura recebeu na entrada da área e bateu na trave. Robinho marcou na sobra, mas estava impedido. Mesmo muito abaixo do que pode render tecnicamente, Robinho era a principal peça do ataque mineiro e perderia chance incrível aos 35, quando ficou com sobra após corte de Wanderson e bateu por cima, sozinho na área.

O atacante também seria responsável pela expulsão de Lucho González, que puxou o adversário e matou contra-ataque aos 40 minutos. Como já tinha cartão amarelo, recebeu o segundo e deixou o campo mais cedo.

A partida parecia se desenhar favorável ao Atlético-MG, mas o segundo tempo trouxe um cenário praticamente igual ao primeiro. O Atlético-PR seguia fechado na defesa e cedendo o domínio territorial ao rival mineiro, que dominava o campo de ataque e tinha a posse de bola, mas não conseguia criar.

Ao time da casa, então, restou os cruzamentos para a área, que facilitavam a vida da alta defesa paranaense. E na mesma moeda, quase que o time da casa surpreendeu e abriu o placar aos 16 minutos. Após escanteio cobrado por Nikão, a bola sobrou com Deivid, que cabeceou por cobertura e acertou a trave.

A pressão da torcida aumentou, assim como os gritos por Otero, que entrou na vaga do inoperante Valdivia. Especialista na bola parada, o venezuelano quase abriu o placar aos 23, quando cobrou falta com firmeza e contou com desvio da defesa. A bola passou rente à trave.

Ainda na base da bola parada, o Atlético-MG chegou ao gol quando Marlone ajeitou de cabeça e Rafael Moura concluiu para a rede, mas a arbitragem viu impedimento polêmico do meia no primeiro lance. Nos últimos minutos, o time da casa foi para cima na base da pressão e assustou em tentativas de Otero e Rafael Moura, mas não conseguiu furar a retranca adversária.

Se o cenário já era desolador, ficou ainda pior nos acréscimos. Após bola chutada para frente pela defesa do Atlético-PR, Felipe Santana cometeu erro crasso ao tentar recuar de cabeça. Sidcley, esperto, arrancou sozinho do meio de campo e tocou na saída de Victor para garantir o triunfo.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 0 X 1 ATLÉTICO-PR

ATLÉTICO-MG - Victor; Alex Silva (Thalis), Leonardo Silva, Felipe Santana e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias (Elder), Marlone e Valdivia (Otero); Robinho e Rafael Moura. Técnico: Roger Machado.

ATLÉTICO-PR - Santos; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto (Deivid) e Lucho González; Nikão (Nicolas), Yago (Douglas Coutinho) e Grafite. Técnico: Eduardo Baptista.

GOL - Sidcley, aos 45 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Péricles Bassols (PE).

CARTÕES AMARELOS - Leonardo Silva, Alex Silva (Atlético-MG); Deivid (Atlético-PR).

CARTÃO VERMELHO - Lucho González (Atlético-PR).

RENDA - R$ 247.638,00.

PÚBLICO - 10.924 pagantes.

LOCAL - Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.