Mesmo com vacilos, Corinthians vence outra no Campeonato Paulista

Com três volantes, marcação melhora, mas falhas na zaga irritam Mano nos 3 a 2 contra o Rio Claro

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2014 | 23h06

SÃO PAULO - O Corinthians venceu a segunda partida seguida e reforçou sua nova cara. Os 3 a 2 sobre o Rio Claro evidenciaram a estratégia de Mano Menezes. Ele repetiu o meio de campo “de exceção”, com três volantes, e encontrou um norte. O time ficou mais forte na marcação, mas a defesa continuou desatenta. Sofreu dois gols e complicou um jogo que poderia ser fácil.

A vitória foi mais um passo para encerrar a turbulência que vem desde 2013 – em campo e, principalmente, nas arquibancadas. Apesar da crise com as organizadas, não foram vistos protestos após a decisão da diretoria de vetar a venda de ingressos nas quadras das torcidas.

Houve demonstrações de apoio de todos os setores do Pacaembu. O time correspondeu e marcou dois nos gols no primeiro tempo, aos 40 e aos 43. Antes, já havia construído chances claras de gol.

Dos três volantes, dois deles tiveram função dupla contra o Rio Claro: Guilherme cobriu o lado direito e Bruno Henrique, o esquerdo. Eles também tinham função ofensiva quando o time possuía a bola. Ralf se tornou um guardião da dupla de zaga, agora formada por dois jogadores de força – Gil e Cleber.

Com essa formação, o Corinthians rouba mais a bola, mas não lá na frente, como fazia nos bons tempos de Tite. A marcação é feita mais atrás. E, depois, tenta atacar em bloco. Nesse momento entra Jadson, o armador.

A jogada do primeiro gol começou no campo de defesa. Ralf roubou a bola e iniciou a trama com Jadson. Ao receber o passe, o volante cruzou para Guerrero, que ajeitou para o meia. A bola foi enfiada com capricho na direção de Romarinho: gol.

O atacante ainda marcou mais um, chegando ao quinto no Paulista. Romarinho está mais leve, com sorte e o moral alto. No extremo oposto está Guerrero, que se irritou a cada lance perdido.

O segundo e o terceiro gols mostraram o que o time ganhou com a entrada de Cleber: o jogo aéreo. No bombardeio de escanteios, ele se destacou, marcando um gol e participando do segundo de Romarinho na noite.

O Corinthians sofreu dois gols no segundo tempo porque o Rio Claro não ficou só se defendendo. O time visitante viu que poderia se dar bem pelo lado direito da defesa corintiana. Se tivesse mais tempo, talvez poderia ter empatado. Mas o Corinthians mereceu vencer. Resta saber como serão seus próximos passos na luta por um lugar nas quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.