Mesmo fora, técnico vê jogadores do Botafogo-SP como heróis

'Lutaram muito, cumprindo bem nossa estratégia', diz Régis Angeli

Estadão Conteúdo

12 de abril de 2015 | 14h53

A garra, a disposição e a força de conjunto do Botafogo foram suficientes para deixar o técnico Régis Angeli satisfeito, mesmo após a derrota por 1 a 0 para o Palmeiras que eliminou a equipe de Ribeirão Preto do Campeonato Paulista, neste domingo, no Allianz Parque. No comando do time pela terceira vez, sofreu sua primeira derrota, mas elevou seus jogadores à categoria de heróis.

"Eles lutaram muito, cumprindo bem nossa estratégia e poderiam até ter vencido com um lance de oportunismo. Mas lutaram como heróis e estão de parabéns", analisou Régis, que assumiu o cargo no lugar de Mazola Júnior após a derrota do time para o São Bernardo, por 1 a 0. Depois venceu o São Paulo, por 2 a 0, no Estádio Santa Cruz, e superou o Mogi Mirim, por 3 a 1, em Mogi.

Para o técnico, "a marcação funcionou bem e a nossa esperança era aproveitar um bola lá na frente". "No segundo tempo, quando a gente estava controlando o jogo, com mais domínio de bola, infelizmente, sofremos o gol. Daí era difícil virar", concluiu.

Régis Angeli tem 47 anos e é nascido em Ribeirão Preto. É filho do ex-técnico Antoninho. Como jogador começou a carreira de volante na Ponte Preta, de Campinas, e precocemente se transferiu para o futebol japonês, no qual praticamente encerrou a carreira. Lá começou já a trabalhar na parte técnica. Ano passado foi auxiliar técnico de Edison Só no XV de Piracicaba e no Botafogo do Rio com Wagner Mancini.

CABEÇA ERGUIDA

Para os jogadores, o fato de o time ter atuado de igual para igual com o Palmeiras e de chegar bem perto das semifinais já foi uma vitória. E a provável vaga na Série D do Campeonato Brasileiro (isso depende da eliminação do XV de Piracicaba contra o Santos) vai deixar o time de Ribeirão Preto com o dever cumprido.

O meia Bruno Costa lamentou que o time "perdeu duas chances cruciais para sair na frente". O lateral-direito Gimenez reafirmou que "conseguimos surpreender a todos e dificultar a vitória para o Palmeiras". O zagueiro Eli Sabiá preferiu reconhecer que "o Palmeiras aproveitou a chance que teve e levou a melhor. Teve méritos". O goleiro Renan Rocha, que conseguiu se firmar como titular durante a competição, se diz recompensado: "Havia muita desconfiança em relação a mim e ao time. Mas nós mostramos em campo que somos um time guerreiro".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolcampeonato PaulistaBotafogo-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.