Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Mesmo na 'pior fase' do ano, Tite crê em virada na Libertadores

Técnico do Corinthians confia em superação contra o Guaraní

O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2015 | 07h00

Após um início de 2015 arrasador, o Corinthians não retomou o padrão de atuação dos primeiros jogos da temporada. A análise é do próprio Tite. Depois da surpreendente derrota por 2 a 0 para o Guaraní, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, quarta-feira, em Assunção, o técnico reconheceu que sua equipe não atuou como ele imaginava.

"É a fase mais complicada (nesse ano) do Corinthians. Nós só tínhamos perdido uma vez na temporada. Precisávamos retomar o padrão", afirmou o comandante após a derrota, com direito a falha do goleiro Cássio.


A derrota para o Guaraní foi a segunda consecutiva do Corinthians em 2015. Há duas semanas, o time perdeu para o São Paulo (2 a 0) no último jogo da fase de grupos da Copa Libertadores. Mais um sinal de que a equipe caiu de produção é o fato de o time de Tite ter vencido apenas uma vez  nos últimos sete jogos, somando Libertadores e Paulistão. "Temos de retomar o passe, a triangulação", disse.

O Corinthians precisa vencer o jogo da volta por 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis ou ganhar por 3 a 0 no tempo normal para garantir a vaga às quartas de final, ou por três gols de diferença. O jogo será na próxima quarta-feira (13) no Itaquerão. Todos os ingressos já estão esgotados. Apesar da derrota em Assunção, Tite mostrou-se otimista em conseguir uma virada na próxima semana.

"Só saberemos o tamanho do prejuízo depois de jogar os noventa minutos em casa. Mas temos condições de, com o carinho do nosso torcedor, reverter e buscar o resultado. Temos essa consciência." O técnico tem uma semana até o jogo da volta. O problema é que neste domingo o time estreia no Brasileirão diante do Cruzeiro - o jogo, com mando do time mineiro, será disputado em Cuiabá, na Arena Pantanal. Tite não adiantou se pensa em poupar titulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.