Mesmo no rachão, são-paulinos buscam concentração

Descontração, somente por um breve instante, para comemorar o título do rachão. A palavra do momento no Morumbi é concentração para o jogo contra o Goiás, domingo, no Distrito Federal. O semblante dos jogadores neste sábado, no treino, era bem diferente do visto na semana passada, na véspera do jogo contra o Fluminense, quando o time poderia ser campeão por antecipação. As brincadeiras deram lugar a expressões mais contidas."É natural, na véspera de um jogo tão importante os atletas ficarem mais sérios. Mais preocupados", analisou Miranda, logo após o treino. "Mas é claro que o time é experiente, ganhou os dois últimos títulos brasileiros e sabe o que precisa fazer em campo para sair com o título", completou o jogador.Para Miranda, a melhor opção do São Paulo para sair do Gama com a taça é jogar no ataque. "Nós vamos em busca da vitória. O time não sabe jogar para empatar, desde o começo de uma partida", decretou o zagueiro. "Temos muitos jogadores experientes, que sabem que de repente, no decorrer da partida, se os resultados estiverem ao nosso favor, podemos sim jogar pelo empate".A entrevista deste sábado começou com um Miranda sério, mas nem tanto pela tensão do jogo do dia seguinte. "Estou meio assim por que estava no time que perdeu o título do rachão", lamentou, em tom de brincadeira. "Também jogo videogame pra aliviar um pouco a tensão, mas lá eu ganho sempre", brincou o jogador, que logo recuperou o foco. "Mas agora já foi, e vamos pensar apenas no Goiás".Para ser campeão, o São Paulo precisa apenas de um empate diante do Goiás. Mesmo em caso de derrota, o time do Morumbi pode ficar com a taça. basta que o Grêmio não vença o Atlético Mineiro, no Estádio Olímpico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.