Renata Caldeira/TJMG Divulgação
Renata Caldeira/TJMG Divulgação

Mesmo preso, Bruno fecha com equipe mineira e pode jogar ainda neste ano

Para atuar pelo Montes Claros Futebol Clube, goleiro precisa ser transferido e liberado pela justiça

O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 11h12

SÃO PAULO - Preso desde julho de 2010, o goleiro Bruno pode retornar aos gramados ainda no início deste ano. Conforme reportagem do jornal O Tempo, o jogador condenado por ser o mandante da morte de Eliza Samudio deve assinar contrato de cinco anos nesta sexta-feira com o Montes Claros Futebol Clube, time da segunda divisão do Campeonato Mineiro.

Os advogados do goleiro devem levar o contrato à Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A assinatura deve ser feita até esta sexta-feira para que o clube de Minas Gerais consiga inscrever o jogador a tempo na Federação Mineira de Futebol (FMF) e na Confederação Brasil de Futebol (CBF). O objetivo da diretoria do Montes Claros é que o jogador esteja disponível para a próxima fase do Hexagonal final do torneio.

Cumprindo pena de 22 anos e três meses de prisão pela morte de Eliza Samudio, Bruno precisaria ser transferido para o Presídio Regional de Montes Claros inicialmente. Além disso, a justiça também deve determinar se o jogador vai poder treinar em dois períodos, viajar com o elenco em partidas fora de casa e se concentrar com o restante do plantel.

Em entrevista ao Globoesporte.com, o presidente do Montes Claros, Vile Mocelin, confirmou o acerto entre clube e o jogador detido. De acordo com o mandatário, a intenção do time em ter Bruno é "recuperar a pessoa humana". Além disso, ele também confirmou que o contrato de cinco anos terá salário fixado em R$1.430 mensais e uma multa rescisória de R$ 2,86 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.