Mesmo sem vitória, Muricy valoriza atuação do time

O São Paulo não venceu - nas últimas sete partidas, só conquistou uma vitória -, mas jogou melhor do que nos últimos jogos. Esta é a análise dos são-paulinos sobre a atuação no clássico contra o Palmeiras, neste domingo, que terminou empatado sem gols. "Os dois times criaram muitas oportunidades, foi um grande jogo", disse o técnico Muricy Ramalho. "Não ganhamos, mas fizemos uma boa partida."

GIULIANDER CARPES, Agencia Estado

24 de maio de 2009 | 19h28

O treinador projetou um duelo equilibrado diante do Cruzeiro, pelas quartas de final da Copa Libertadores, mesmo considerando o adversário como o melhor time do Brasil na atualidade. "Do jeito que nós jogamos hoje (domingo) é possível ganhar. O São Paulo, nos jogos decisivos, é um time perigoso. Time bom é esse aí. Deve crescer ainda mais", afirmou, otimista.

Porém, preocupa o São Paulo a sequência de más atuações de alguns de seus jogadores mais importantes. Hernanes esteve apático diante do Palmeiras. Acabou substituído por Arouca. E Washington seguiu sem marcar, apesar das boas oportunidades que teve - pelo menos três vezes esteve cara a cara com o goleiro Marcos.

Seu último gol foi a mais de um mês, no dia 2 de abril, contra o Guaratinguetá (vitória por 2 a 1), ainda pela primeira fase do Campeonato Paulista. Neste domingo, o centroavante chegou a ser cobrado pelo volante Eduardo Costa durante a partida. "Vamos continuar insistindo que daqui a pouco a bola entra", garantiu Washington.

Já o presidente Juvenal Juvêncio deu nota 7 ao time no clássico. "Quarta-feira será nota 9", completou, demonstrando o mesmo otimismo de Muricy. O dirigente preferiu não entrar no mérito das declarações de Vanderlei Luxemburgo, que reclamou de um pênalti não marcado em Diego Souza. "Ele tem que ver os lances na televisão, como eu vi. Essa conversa do Vanderlei é antiga pra burro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.