Messi aprovaria escolha de Maradona para treinar a Argentina

Um dos principais ídolos da seleção acredita que não haveria nenhuma pressão caso ex-craque fosse o escolhido

EFE,

27 de outubro de 2008 | 19h19

O meia-atacante Lionel Messi, do Barcelona, disse nesta segunda-feira que "não seria nenhuma pressão" ter o ex-jogador Diego Maradona como técnico da seleção argentina.Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Ele é um dos candidatos a suceder a Alfio Basile, que pediu demissão no último dia 17. Os outros são Carlos Bianchi, ex-técnico de Vélez, Boca Juniors, Roma e Atlético de Madri; Miguel Russo, à frente do San Lorenzo, líder do Campeonato Argentino; e Sergio Batista, que levou a equipe ao ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim."O próximo técnico deve trabalhar bem para que possamos voltar ao topo, que é onde a Argentina tem que estar", disse Messi à agência estatal de notícias Telam, de seu país.O comitê de seleções da Associação do Futebol Argentino (AFA) se reuniu nesta segunda com o presidente da entidade, Julio Grondona, para analisar a nomeação do novo técnico.Ao falar sobre a saída de Basile, Messi disse não ter entendido porque o treinador abandonou um cargo que ocupava desde 2006. "O importante agora é trabalhar muito", comentou.Para o meia-atacante, a Argentina não mudará muito seu padrão de jogo com a chegada de um novo treinador. "Será difícil ver uma mudança como a que houve no Barcelona", disse o jogador, sobre a substituição do comandante holandês Frank Rijkaard por Guardiola, formado no clube."Esta é uma questão de muito trabalho, de estarmos juntos diariamente. Por outro lado, só nos encontramos na seleção por até dez dias e atuamos com pessoas que conhecemos pouco", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.