Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Messi assume responsabilidade por empate argentino e diz que perder pênalti 'dói'

Atacante e capitão da Argentina perdeu pênalti e equipe ficou no empate com a Islândia por 1 a 1

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2018 | 14h22

"Dói muito". Foi assim que Lionel Messi explicou neste sábado o que sentiu quando perdeu o pênalti contra a Islândia, que poderia ter dado a vitória para a seleção da Argentina. O atacante do Barcelona não escondeu a frustração com o resultado depois de um empate no primeiro jogo da Copa do Mundo da Rússia contra o time islandês, em Moscou.

+ Técnico da Argentina isenta Messi de culpa pelo empate com a Islândia

+ LANCES: Argentina x Islândia

+ FERA: Confira os memes do empate entre Argentina e Islândia

"Não conseguimos ganhar a partida e marcar os três pontos", disse o jogador. "Mas acredito que merecíamos ganhar. O pênalti nos colocaria na frente", lamentou.

O jogador não deixou de assumir para si a responsabilidade por não ter encontrado espaços para criar diante de um adversário que entrou em campo com uma forte marcação. "Se tivéssemos encontrado mais espaço, seria uma outra partida. Mas eles não queriam jogar. Nos esperavam atrás e não tinha espaço para entrar", insistiu.

Messi destacou que tentou fazer a equipe "mover rapidamente" em campo no Spartak Stadium. "Mas não encontramos os espaços e se fechavam bem", disse.

O argentino destaca que a sua seleção saiu com um melhor jogo no início. "Fizemos rapidamente um gol. Mas depois eles saíram mais para atacar e tiveram a sorte de marcar", lamentou. "No segundo tempo, eles se fecharam e não criaram mais situações", apontou.

Messi apontou a sua "amargura por não poder ganhar". "Não pensávamos começar com um ponto só. Mas ninguém dá nada de presente. Será uma Copa muito parelha e vemos jogos muitos equilibrados", justificou. "Era importante começar ganhando. Mas temos de nos concentrar agora na Croácia. Agora é continuar a trabalhar. Continuamos com a mesma vontade", completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.