JUAN MABROMATA / AFP
JUAN MABROMATA / AFP

Messi diz que não é favorito à Bola de Ouro e revela em quais jogadores votaria para ganhar o prêmio

Em entrevista à revista francesa 'France Football', craque argentino cita Neymar, Mbappé, Lewandowski como fortes candidatos. Jogador também comenta conturbada saída do Barcelona após imbróglio por renovação

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2021 | 11h38

Nesta sexta-feira, a revista "France Football" divulgou a lista dos 30 finalistas da Bola de Ouro, com destaque para Lionel Messi, Neymar e Cristiano Ronaldo, que novamente figuram entre os indicados. Na mesma publicação, o craque argentino disse em entrevista que não é favorito para levar o prêmio e revelou em quais jogadores votaria. Ele também comentou a conturbada saída do Barcelona

Contratado pelo Paris Saint-Germain em agosto, Messi teve uma temporada difícil pelo Barcelona, que passa por grave crise financeira e institucional. Apesar de ter conquistado a Copa América pela Argentina, o jogador afirma que não está entre os favoritos para levar a Bola de Ouro e revelou que votaria em Neymar e Mbappé, companheiros na equipe francesa, para levar o prêmio. 

"Tenho dois jogadores do meu time em quem eu votaria: Neymar e Mbappé. Há outros jogadores que individualmente fizeram uma grande temporada como o Lewandowski. O Karim Benzema também teve um excelente ano", disse o argentino. 

Messi é o jogador que mais conquistou a Bola de Ouro na história, sendo seis vezes coroado como Melhor do Mundo. Ele recebeu o prêmio em 2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019. O camisa 30 do PSG comentou sobre o que acha necessário para um atleta ser digno da premiação. 

"É difícil dizer porque o que conquista em nível coletivo é muito importante para a Bola de Ouro. Ultimamente o que foi conquistado tem muito peso, como a Liga dos Campeões, a Copa América ou Eurocopa. Conseguir esses títulos tem muito peso", disse. 

Aos 34 anos, o craque argentino planejava uma aposentadoria no Barcelona, clube onde jogou desde a adolescência. Porém, o jogador disse que "não tinha outra opção" a não ser deixar a equipe espanhola após não conseguir chegar em um acordo por um novo contrato. No PSG, ele diz não se arrepender da escolha que fez e recorda a saída da Espanha. 

"Tive de mudar os meus planos, deixar Barcelona foi uma sensação estranha, parecida à de quando tinha 13 anos e deixei Rosario. Foi extremamente duro de encaixar, de deixar a nossa casa e que a família tinha de mudar completamente as rotinas, os meninos mudarem de escola. Pela primeira vez na minha carreira passaram muitas coisas pela minha cabeça", falou. 

Messi está com a seleção argentina para a disputa das Eliminatórias. Neste domingo, ele entra em campo com a equipe albiceleste para enfrentar o Uruguai, às 20h30 (horário de Brasília), no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. A Argentina é a segunda colocada na tabela de classificação, com 19 pontos, oito atrás do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.